• EU SOU CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL.

  • OBRIGADO PELOS 200 MIL ACESSOS AO BLOG GARANTIA DE DIREITOS.

  • Seja um colaborador do Blog: Garantia de Direitos.

  • ÀS 18 RAZÕES CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL.

  • CAMPANHA NACIONAL DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS DAS CRIANÇAS E DOS ADOLESCENTES.

Vem aí a eleição para conselheiros tutelares

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 0 comentários



Atualmente, em , há seis Conselhos Tutelares abrangendo as seguintes regiões: Norte, Centro-Sul, Leste, Oeste, Noroeste e Campinas.
Como determina a Lei, cada Conselho Tutelar está composto por cinco Conselheiros Tutelares titulares escolhidos pela comunidade Goianiense. Como todos sabem, os Conselheiros Tutelares são eleitos pelo voto direto, secreto, universal e facultativo dos cidadãos do município de Goiânia, que estejam inscritos na Justiça Eleitoral cinco meses antes da realização da eleição. Porém, antes de os candidatos disponibilizarem seus nomes para serem votados, eles foram submetidos a duas rigorosas avaliações: uma que é a entrega de certidões e certificados comprobatórios de atuação na área da criança e do adolescente e, aprovado nessa etapa, submetidos a uma prova escrita que neste ano foi aplicada pelo Centro de Seleção (CS) da Universidade Federal de Goiás (UFG). Somente após ter sido aprovado na prova o candidato é autorizado pelos certames das leis a se apresentar para a sociedade como candidato oficial ao cargo de Conselheiro Tutelar (Bom seria se os demais cargos públicos tivessem essas dinâmicas, assim saberíamos escolher melhor nossos representantes).
Neste ano de 2015, a eleição acontecerá no dia 4 de outubro e todo o processo de escolha dos novos Conselheiros Tutelares de Goiânia é regulado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Goiânia (CMDCA), conforme disciplinado pela Lei Municipal 8.483, de 29/06/2006, publicada no Diário Oficial do Município de Goiânia, n° 3.980, de 10/10/2006, que dispõe sobre a Política de Atendimento dos Direitos da Criança e do Adolescente no Município de Goiânia.
Mas, ao fritar dos ovos, o que é Conselho Tutelar? Qual é a verdadeira função de um Conselheiro Tutelar? O Conselho Tutelar é um órgão responsável em fiscalizar o cumprimento ou não dos direitos previstos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e os Conselheiros Tutelares são as pessoas responsáveis por fazer valer os direitos das Crianças e dos Adolescentes e dar encaminhamento adequado para a solução de problemas relacionados aos mesmos, mas também existem outras pessoas que fazem parte desse órgão que auxiliam tais processos em conjunto com os Conselheiros. Os casos que podem e devem ser encaminhados para o Conselho Tutelar são aqueles de discriminação, exploração, negligência, opressão, violência e crueldade que apresentem como vítimas as crianças ou adolescentes. Assim que recebem uma denúncia de violação de qualquer direito de uma Criança ou Adolescentes, o Conselho Tutelar, como um todo, passa a acompanhar o caso devidamente, para assim definir a melhor maneira de resolver o problema e devolver a Criança ou o Adolescente o direito de poder usufruir de tudo aquilo que está previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Caso os pedidos não sejam atendidos, o Conselho Tutelar tem como papel também encaminhar o caso ao Ministério Público, para que assim sejam tomadas todas as providências jurídicas necessárias.
Em Goiânia, as últimas eleições ocorreram em 20 de outubro de 2013, há dois anos, para um pleito de apenas dois anos, mas agora, devido à unificação das eleições para Conselheiros Tutelares em todo o Brasil, o tempo volta a ser de quatro anos.
Por tudo isso é importante que todos os cidadãos eleitores de Goiânia compareçam às urnas de suas respectivas regiões, no dia 4 de outubro, de oito horas da manhã até as cinco da tarde, portando documento de Identidade e Título de Eleitor para exercer o direito à cidadania e determinar quem vai zelar pelos Direitos das Crianças e Adolescentes de Goiânia nos próximos quatro anos.
 FONTE: http://www.dm.com.br/opiniao/2015/08/vem-ai-eleicao-para-conselheiros-tutelares-de-goiania.html
(Gilson Vasco, escritor)

Professor de inglês é preso suspeito de estuprar alunas

0 comentários



Um professor de 25 anos foi preso, na tarde desta terça-feira (4), suspeito de abusar sexualmente de alunas - com idades entre 8 e 10 anos - em uma escola de inglês em Manaus. Segundo informações da Polícia Civil, a mãe de uma das vítimas registrou Boletim de Ocorrência (BO) denunciando que a criança teria sido molestada dentro de uma sala de aula. A denúncia foi feita em maio deste ano.
Segundo relato da mãe da vítima à polícia, o crime teria ocorrido quando a menina e o suspeito ficaram sozinhos em uma sala. Ele teria tocado as partes íntimas da criança. Após o relato da menina, a mãe procurou a polícia.
Outras duas mães de alunas compareceram à delegacia posteriormente para registrar queixa contra o suspeito, alegando que o mesmo crime teria sido cometido com as filhas.
A Polícia Civil informou que o professor foi intimado a comparecer à delegacia para prestar depoimento. Ele alegou que aliciava as crianças por ter problemas psicológicos, mas não foi preso no momento em que estava na delegacia, pela ausência de flagrante.
O mandado foi expedido no dia 27 de maio de 2015. Os policiais fizeram buscas e prenderam o suspeito quando ele saía da casa do pai, nesta terça-feira. Ele foi encaminhado à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da cidade.
A delegada Linda Gláucia, da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), informou que o professor já respondia um inquérito em liberdade. Ele havia mantido um relacionamento com a vítima de 13 anos, em 2014. Na época, ele não foi preso por se tratar de um relacionamento consensual, mas respondia ao processo em liberdade.
 FONTE: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2015/08/professor-de-ingles-e-preso-suspeito-de-estuprar-alunas-em-manaus.html

Os interesses por trás da redução da maioridade penal no Brasil

quinta-feira, 18 de junho de 2015 0 comentários



“Todo mundo dizia que eu não iria passar dos 15. Mas ó, tô aqui, firme e forte, 29 anos, venci a estatística. Um homem feito, trabalhador. Mas passei meu veneno na Fundação Casa, vou dizer. Na época era Febem ainda. Tudo começa porque a gente não tem estrutura aqui na periferia. A molecada corre pra onde? Pra rua. O refúgio é rua, sempre foi. Eu recebi educação da minha mãe, guerreira, criou sozinha cinco filhos. Mas quem me ensinou mesmo foi a rua. Já passei fome na rua, já bati na rua, já apanhei na rua”, conta Pixote, na pracinha perto da sua casa, no Jardim Vazame, região metropolitana de São Paulo. “Com 13 anos eu era moleque doido, a gente não tinha o que fazer. Comecei a roubar junto com outros meninos daqui. A gente roubava mercadinho, coisa pequena.

Minha mãe dormia no serviço, e minha irmã não conseguia me segurar em casa. Um dia nós pulamos o muro de uma casa pra roubar roupa, CD, sem arma, nem era pra vender na quebrada, era só coisa pequena que a gente queria. Daí fomos abordados pela polícia, já no caminho de volta. Eles bateram, falaram que iam matar a gente. Foi a maior decepção pra minha mãe. Fiquei um ano na Febem, que depois virou Fundação Casa, mas que de casa não tem nada porque aquilo é cadeia. Apanhei muito lá dentro, sem motivo. Eles tiravam a gente do quartinho e espancavam. Vi cada coisa naquele lugar.

Quando eu saí, pensei na minha mãe. Que não queria dar desgosto pra uma mulher que não merecia. Mas se fosse pensar no que passei lá dentro… A cabeça não sai boa, a gente não aprende nada na ‘cadeia’. Eu limpei bosta com a mão. Nem era minha. Foi a única vez que ouvi um por favor lá dentro. ‘Por favor, limpa essa merda com a mão.’ Daí agora querem botar a molecada na cadeia mesmo, misturada com os mais velhos. Acham que eles vão sair uns anjos de lá?
Vão sair três vezes pior, com um garfo na mão espetando até o cão. Eu tive sorte, sobrevivi. Mas muitos não têm.”

Pixote tem razão quando diz ser um sobrevivente. A violência mata mais os adolescentes do que qualquer outra camada da população. E, ao contrário do argumento usado por quem defende a redução da maioridade penal, não são eles os que mais matam, como destaca Jacqueline Sinhoretto, do Departamento de Sociologia da UFSCar e coordenadora do Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos (Gevac). “A percepção social de que os adolescentes são os grandes responsáveis pela violência no Brasil não resiste à análise acurada. Os jovens entre 15 e 19 anos são as maiores vítimas da violência fatal e cometem apenas uma parcela destes crimes”, pontua a professora.

Os homicídios são a principal causa de morte de jovens de 15 a 29 anos no Brasil e atingem especialmente jovens negros do sexo masculino, moradores das periferias e áreas metropolitanas dos centros urbanos, constata o Mapa do Encarceramento: Os Jovens do Brasil, da Secretaria-Geral da Presidência da República. O relatório, ainda em versão preliminar, é baseado em dados consolidados do SIM/Datasus, do Ministério da Saúde, sobre as 56.337 vítimas de homicídio em 2012. Mais da metade delas, 52,63%, eram jovens (27.471), dos quais 77% negros (pretos e pardos) e 93,30% do sexo masculino. E apesar de, esporadicamente acontecerem crimes envolvendo adolescentes que sensibilizam a opinião pública, como o recente caso do médico Jaime Gold esfaqueado na Lagoa, no Rio de Janeiro, uma parcela ínfima comete crimes violentos. De acordo com uma estimativa do Unicef Brasil (feita a partir de dados da Pnad e Sinase de 2012) e citada em nota da ONU contra a redução da maioridade penal “dos 21 milhões de adolescentes que vivem no Brasil, apenas 0,013% cometeram atos contra a vida”.

Confirmando outra percepção de Pixote, a nota da ONU afirma: “Há inúmeras evidências de que as raízes da criminalidade grave na adolescência e juventude no Brasil se desenvolvem a partir de situações anteriores de violência e negligência social. Essas situações são muitas vezes agravadas pela ausência do apoio às famílias e pela falta de acesso destas aos benefícios das políticas públicas de educação, trabalho e emprego, saúde, habitação, assistência social, lazer, cultura, cidadania e acesso à justiça, que, potencialmente, deveriam estar disponíveis a todo e qualquer cidadão, em todas as fases do ciclo de vida”.

A legislação brasileira vai mais fundo, garantindo atendimento prioritário aos direitos de crianças e adolescentes na forma exigida pelo Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), promulgado em 1990. Na prática, porém, não apenas o Estado falha em garantir “um mínimo para esses meninos” em um país profundamente desigual, mas é ele que faz girar a roda de violência através de seu aparelho repressivo, como aponta Fernanda Laender, educadora no Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo.

“A violação do Estado produz ‘vítimas’ e estas, quase sempre, se tornam ‘agressores’. É a reprodução da dinâmica da violência. No fundo, eles buscam igualdade, ter os mesmos direitos que os outros, e a violência é a forma mais ‘naturalizada’ de reivindicação. Existe um atravessamento do Estado na vida destes meninos e suas famílias, mantendo as coisas em seus ‘devidos lugares’. Pobres e negros cada vez mais pobres e excluídos. Os meninos não se tornam traficantes, eles crescem em meio ao tráfico e ao crime, mas vivem o mesmo apelo social de uma sociedade de consumo em que você é o que você tem. Os meninos querem isso também, ter coisas, ser alguém, experimentar o que é pertencimento e ser reconhecidos. Quando o Estado se mostra presente nas políticas públicas periféricas, se apresenta numa perspectiva policial e penitenciária, ou seja, policial e punitiva.”

Adolescência interrompida

Em uma rua do Jardim Maria Sampaio, no Campo Limpo, zona sul de São Paulo, sentado na calçada vendo o tempo passar, encontramos – eu, o fotógrafo José Cícero da Silva e o grafiteiro Gamão, que nos ajudava na missão – Pedro*, 17 anos, com duas passagens pela Fundação Casa. Ele nos leva até a casa onde mora com a mãe e cinco irmãos, as janelas de frente para um córrego a céu aberto que destrói tudo à sua volta a cada chuva forte. A casa de Pedro passa por uma reforma depois de ter caído em um desses dias de água brava.

O crack levou o irmão mais velho na mesma época em que Pedro largou a escola sem a mãe saber. O pai está preso. “Eu tinha 13 anos quando meu irmão morreu. Fiquei meio… Sei lá. Não tinha mais vontade de ir pra escola e fui pra rua. Rodei [foi pego pela polícia] com 15 anos, por tráfico, e fiquei na Fundação Casa 46 dias. O juiz brigou muito com a minha mãe, disse que ela não me educava direito. Mas minha mãe nem sabia que eu tava na rua, ela saía cedinho pra trabalhar e voltava tarde da noite. Fui lá pra unidade do Brás. Não apanhei, mas vi muito moleque apanhar dos agentes. Eles levavam pra um quartinho e eu só ouvia os menores gritando. Tampava os ouvidos pra não ficar ouvindo. Muita revolta, dá. Todo lugar que a gente entrava e saía tinha que pagar revista.

Sacudia a camiseta três vezes, tirava a bermuda, a cueca, pagava canguru. Umas seis vezes por dia.” Pedro fala de cabeça baixa, o tom de voz quase inaudível, mas a entonação muda um pouco quando lembra da escola. “As professoras deixavam a gente escrever, desenhar. Era bom. Quando eu saí [da Fundação Casa], pensei que queria uma vida de trabalhador, estudar, ter família. Mas, quando voltei pra cá, o homem pra quem eu trabalhava disse que precisava de mim porque só tinha eu na rua e ele tava devendo um dinheiro pra polícia. Como ele me ajudou muito, deu tudo pra minha mãe enquanto eu tava lá dentro, eu não podia deixar ele na mão. Depois de uns meses me prenderam de novo, por roubo de carro. A polícia ficou rodando com a gente na viatura, bateram muito em nós, quebraram uma costela minha no chute. Jogaram tanto spray de pimenta lá dentro que eu até desmaiei na viatura. Daí me deixaram uns dias na delegacia e me mandaram pra Fundação Casa [de novo]. A mesma coisa, vi muito menor apanhar. Mas não aprendi nada lá não. Tem muito menino que sai muito mais revoltado.”

Quando indagado sobre a redução da maioridade penal, Pedro fica alguns segundos em silêncio. “Sei lá… Um menor naquele lugar? Acho que não vai ser boa coisa, né? Os caras vão querer atropelar, a mente vai sair… Pior.”

Aprovação da PEC na CCJ

No dia 31 de março deste ano, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou a admissibilidade da proposta de emenda à Constituição (PEC) 171, de 1993, que altera a redação do art. 228 a respeito da imputabilidade penal do maior de 16 anos. Ou seja: apenas os que têm até 16 anos continuam protegidos pela legislação especial (ECA) quando em conflito com a lei. Foi o primeiro passo para assegurar o andamento da proposta na Casa.

O placar de votação foi de 42 deputados a favor e 17 contrários. O texto da PEC, redigido pelo então deputado do Partido Progressista (PP) Benedito Domingos, alega que os jovens de hoje têm mais discernimento do que os de antigamente: “A liberdade de imprensa, a ausência de censura prévia, a liberação sexual, a emancipação e independência dos filhos cada vez mais prematura, a consciência política que impregna a cabeça dos adolescentes, a televisão como o maior veículo de informação jamais visto ao alcance da quase totalidade dos brasileiros, enfim, a própria dinâmica da vida, imposta pelos tortuosos caminhos do destino, desvencilhando-se ao avanço do tempo veloz, que não pára, jamais”. E o deputado conclui: “Se há algum tempo atrás se entendia que a capacidade de discernimento tomava vulto a partir dos 18 anos, hoje, de maneira límpida e cristalina, o mesmo ocorre quando nos deparamos com os adolescentes com mais de 16”.

O argumento do deputado Benedito contradiz o parecer de psicólogos e especialistas em adolescência, vista por eles como uma etapa do processo de desenvolvimento. “São pessoas que estão em processo de constituição de seus valores”, destaca a presidente do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, Elisa Zaneratto Rosa, que se declarou oficialmente contra a medida. “Todos nós passamos por um processo de desenvolvimento pelo qual nos apropriamos dos valores postos na sociedade, em que desenvolvemos capacidades para fazer a reflexão crítica sobre esses valores. A psicologia reconhece que isso depende de um processo de formação – e de um processo de formação, inclusive em relação ao qual o Estado tem responsabilidade”, explicou em entrevista concedida à repórter Laura Capriglione para os #JornalistasLivres.

A proposta representa também um retrocesso em relação ao ECA, internacionalmente reconhecido como uma das melhores legislações do mundo referente à política da infância e adolescência. Uma pesquisa realizada pela ONU (Crime Trends) estudou a legislação de 57 países e aponta que apenas 17% delas estabelecem idade penal inferior a 18 anos. E essa é uma tendência: a Alemanha, por exemplo, que tinha baixado a idade penal, voltou para 18 anos e criou um sistema diferenciado para jovens entre 18 e 21 anos; o Japão também elevou a maioridade penal para 21 anos.

A aplicação de medidas socioeducativas – e não de penas criminais – para adolescentes em conflito com a lei prevista no ECA “relaciona-se com a finalidade pedagógica e decorre do reconhecimento da condição peculiar de desenvolvimento na qual se encontra o adolescente”, como citado no Mapa do Encarceramento – Os Jovens do Brasil. A intenção é proteger e educar as pessoas em desenvolvimento, um passo definitivo para se distanciar da doutrina que vigorava até então: a de repressão e disciplina dos “menores degenerados”, criados em ambientes familiares em ‘risco moral’”, que corriam o risco de se tornarem “criminosos”.

O que não significa impunidade para os menores de 18 anos. Há medidas socioeducativas cumpridas em meio aberto (advertência, reparação do dano, prestação de serviços à comunidade, liberdade assistida), mas também as que preveem restrição de liberdade (semiliberdade e internação em estabelecimento educacional), executadas por instituições públicas, ligadas ao Poder Executivo dos estados, como a Fundação Casa, em São Paulo. Segundo o último Sinase, em 2012 havia 20.532 adolescentes em medidas socioeducativas de restrição e privação de liberdade no Brasil, número correspondente a 0,10% da população de 12 a 21 anos.

A alma que pecar, essa morrerá (Ez. 18)

O ECA estabelece também que a responsabilidade pela proteção de direitos dos mais jovens deve ser compartilhada pelo Estado, família e sociedade. Mas é à Bíblia que o deputado Benedito recorre para apoiar o argumento que fundamenta sua proposta de PEC: “A uma certa altura, no Velho Testamento, o profeta Ezequiel nos dá a perfeita dimensão do que seja a responsabilidade penal. Não se cogita nem sequer a idade. ‘A alma que pecar, essa morrerá’ (Ez. 18).

A partir da capacidade de cometer o erro, de violar a lei, surge a implicação: pode também receber a admoestação proporcional ao delito – o castigo. Nessa faixa de idade, já estão sendo criados os fatores que marcam a identidade pessoal e surgem as possibilidades para a execução do trabalho disciplinado. Ainda referindo-nos a informações bíblicas, Davi, jovem modesto pastor de ovelhas, acusa um potencial admirável com o seu estro de poeta e cantor dedilhando a sua harpa, mas, ao mesmo tempo, responsável suficientemente para atacar o inimigo pelo gigante Golias, comparou-o ao urso e ao leão que matara com suas mãos”.

Nem todos os deputados favoráveis à PEC, porém, votaram movidos pela visão bíblica do colega do PP. Gabriela Ferraz, advogada do Instituto Terra, Trabalho e Cidadania (ITTC), aponta motivos mais terrenos por trás dos votos: “Muitos deputados têm financiamento de gestores de penitenciárias privadas e empresas de segurança pública. ‘Eu pago sua campanha e você vira meu funcionário, meu representante, cumpre minhas tarefas.’ Assim como foi feito com a educação e a saúde, a gente sucateia o público pra dizer que o privado é muito melhor.

E a penitenciária privada surge nesse contexto. Interessante trazer a guerra às drogas, a redução da maioridade bem quando se discute as penitenciárias privadas no Brasil. Essas penitenciárias privadas, por contrato, precisam estar cheias. Quanto mais presos, maior o lucro, como mostrou o documentário da Pública. A gente precisa entender que o deputado está sendo pago pra isso. Assim como a indústria bélica força a queda do Estatuto do Desarmamento. Estamos falando de muito dinheiro. É importante lembrar também que existem outros 38 projetos de lei em trâmite que, de alguma forma, preveem a maior penalização do adolescente”.

A Pública bateu à porta da maioria dos 42 deputados que votaram a favor da redução na Câmara dos Deputados, em Brasília. Além de querer conhecer seus argumentos, queria saber se havia um plano para incluir esses adolescentes em um sistema prisional que hoje conta com um déficit de mais de 200 mil vagas, além de ser mundialmente reconhecido por inúmeras violações de direitos humanos.
E com uma taxa de reincidência criminal em torno de 70%, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). De acordo com o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), “as taxas de reincidência nas penitenciárias ultrapassam 60%, enquanto no sistema socioeducativo se situam abaixo de 20%”.

Apenas quatro deputados aceitaram falar, e um, Bruno Covas (PSDB), respondeu via SMS enviado pela assessora de imprensa. A mensagem diz: “O deputado tem a seguinte opinião: acha que o tema deve ser discutido. Deve ser tema de debate. Por isso votou pela admissibilidade. Uma oportunidade para ouvir especialistas contrários e especialistas favoráveis à redução da maioridade. Desse modo, a comissão especial pode chegar a uma conclusão equilibrada e justa”.

Como antecipou esta matéria do site Vaidapé, Bruno foi um dos deputados a votar a favor da PEC que obtiveram financiamento de empresas possivelmente interessadas na privatização de presídios. Na prestação de contas divulgada pelo TSE, aparecem como doadoras a empresa Copseg Segurança e Vigilância Ltda. e Grandseg Segurança e Vigilância Ltda., com doação total de R$ 20 mil. Já o pastor evangélico João Campos (PSDB-GO) recebeu R$ 400 mil das empresas Gentleman Segurança Ltda. e Gentleman Serviços Eireli. Felipe Maia (DEM-RN) recebeu doações de R$ 100 mil da empresa Gocil Serviços de Vigilância e Segurança Ltda. E, de forma mais expressiva, o deputado Silas Câmara recebeu doações de R$ 200 mil de uma empresa chamada Umanizzare Gestão Prisional e Serviços Ltda., que também doou R$ 400 mil para sua esposa, Antonia Lúcia Câmara (PSC-AC) e R$ 150 mil para a filha, Gabriela Ramos Câmara (PTV-AC).

A empresa gere presídios privatizados e é responsável pela administração de seis unidades prisionais só no Amazonas, estado do deputado. No Tocantins, ela administra outras duas unidades. A empresa administra também uma unidade no Mato Grosso em parceria com outras empresas e o Estado (PPP). Procuramos Silas Câmara em seu gabinete e através de inúmeras ligações, mas não conseguimos entrevistá-lo.

Felipe Maia foi o único entre os deputados citados acima a receber a Pública em seu gabinete. O deputado disse que não acredita que a redução da maioridade penal seja a solução para a segurança pública no Brasil, “longe disso”, mas que esta se justifica “pelo número de criminosos ou de jovens delinquentes que hoje têm como realidade a pena socioeducativa de três anos sem registro do delito”. Questionado sobre qual seria o plano para abrigá-los no sistema penitenciário, ele foi claro: “Eu sempre defendi e defendo a privatização do sistema prisional porque acho que o Estado não tem condições de arcar com os custos. Existe a possibilidade de transformar os presídios em empresas em que você cobra do concessionário a ressocialização do preso, a não fuga, a não entrada de celulares. Aquilo tem que dar lucro”. E continua: “Como você vai deixar solto um jovem que mata um pai de família porque o sistema prisional está falido? Vamos resolver os presídios!”. Ele atribui a volta da PEC à “coragem do presidente da casa, Eduardo Cunha, em trazer matérias polêmicas como a terceirização, a reforma política e a redução da maioridade”.

A coordenadora de pesquisa do Programa Justiça sem Muros, do ITTC, Raquel da Cruz Lima, também atribui a Cunha e ao atual momento político a volta da PEC da redução da maioridade penal. “O Eduardo Cunha volta com essa pauta também para mostrar a ausência de base do governo. Porque antes ela já tinha ido para votação na CCJ e o governo segurou. Agora não conseguiu porque não há capital político. Acho que é justamente para ser uma posição simbólica desse esfacelamento da base aliada e do poder do governo federal em barrar políticas diminuidora de direitos, como a da terceirização e outras que estão passando. Isso fica claro nas falas do Eduardo Cunha.”

Dois pesos, duas medidas

Outro deputado que votou a favor da PEC foi Alceu Moreira (PMDB-RS), conhecido por uma intervenção gravada em vídeo durante uma audiência pública de 2013 sobre a demarcação de terras indígenas em que recomenda aos detentores da terra que “se fardem de guerreiros e não deixem um vigarista desses dar um passo na sua propriedade” e que “reúnam verdadeiras multidões e expulsem [os indígenas] do jeito que for necessário”. Moreira disse que votou pela redução porque acredita que hoje as pessoas amadurecem mais cedo e que o adolescente tem clareza do que está fazendo ao cometer um crime. Faltou clareza ao deputado, porém, ao defender seu ponto de vista:

“Não é pelo Estatuto da Criança e do Adolescente que se trata o adolescente, mas também não é através no sistema prisional”. Para explicar a contradição aparente, alegou que, embora defenda o controle do Estado sobre o sistema prisional, as empresas privadas deveriam administrá-lo através de contratação por edital. “Se você paga bem, pode ter certeza que não entra facão ou telefone lá.” Segundo o site Transparência Brasil, Moreira já foi condenado por improbidade administrativa; condenado em segunda instância ao pagamento de multa por contratação irregular de funcionário público; condenado ao pagamento de multa por conduta vedada a agente público (uso irregular de serviço social de saúde pública), e é alvo de inquérito que apura crimes da Lei de Licitações e corrupção passiva.

A Pública entrou em contato com a assessoria de imprensa do candidato pedindo explicações, mas não teve resposta até o fechamento da reportagem.

Já o deputado Laudívio Carvalho, do PMDB de Minas Gerais – membro declarado da bancada da bala e relator da proposta que revoga o Estatuto do Desarmamento –, diz que não só é a favor da PEC como luta por isso há muitos anos. “Em Minas Gerais, como jornalista da área policial, a cada dez ocorrências em que eu trabalhava, em oito havia a presença de menores em conflito com a lei. Hoje o tempo máximo de um menor infrator é de três anos. Eu defendo seis anos para crimes de violência média, e oito para crimes mais graves, contra a vida.” Sobre a crise penitenciária, repetiu o argumento ouvido diversas vezes pela Pública de outros deputados: “Nós temos que dotar o Estado de mecanismos para punir com força e cobrar dos estados federativos que os governantes tenham a responsabilidade legal de fazer cumprir”.

A fala mais transparente talvez tenha sido a do deputado Pastor Eurico, do PSB de Pernambuco. Depois de afirmar que vivemos em um país em que “a consciência da impunidade está nesses chamados menores, entre aspas, que de burros não têm nada”, ele fez a ressalva: “Cada caso é um caso”. E escancarou: “Um cidadão de bem que criou seu filho, deu educação, o menino pega o carro do pai e ‘vou ali’ daí sai, atropela, matou. Esse menino não é bandido, tem educação, testemunho, formação, ele vai ser tratado igual ao cara que sai com um revólver sequestra e mata? É diferente. Tem que parar pra pensar e analisar”.

“Vá até esses delinquentes mirins e ofereça uma boa casa, viver com dignidade, escola, tudo. Você vai encontrar um monte que não quer, que quer viver na bandidagem. Hoje é 16 anos; se amanhã for pra 14, eu voto a favor, não quero nem saber. A instituição não reeduca, mas, se não reeduca, não é problema meu. Cadeia é lugar onde se pensa. O problema é que aqui é frouxa a cadeia. O sistema nosso tem que mudar? Tem. A condição é subumana? É. Vive feito bicho? Vive. Uma cela pra 10 tem 50. Eu sei disso. Mas não fui eu que cometi crime. Todo menino bandido agora passou a ser boa pessoa. O que esse pessoal quer? Pega os meninos e leva pra casa, pra viver com sua família”, concluiu o deputado.

Em artigo escrito em 2013 para o livro “Quase Noventa Anos, homenagem a Ranulfo de Melo Freire”, a presidente da Fundação Casa de São Paulo, Berenice Maria Gianella, afirmou que apenas 1,08% dos adolescentes cumprindo medidas socioeducativas de internação em 2012 respondiam por latrocínio, 0,57% por estupro e 0,78 por homicídio doloso (quando houve intenção de matar).

Eles já estão presos

“O ECA nunca foi colocado em prática, então a gente está tentando desconstruir um sistema que nunca foi efetivado”, diz a defensora pública do núcleo de Infância e Juventude Lígia Cintra de Lima Trindade. “Esse discurso da impunidade é um mito, eles já estão em um sistema repressivo. Os adolescentes têm seus direitos colocados em xeque o tempo todo, às vezes de uma forma mais gravosa que os adultos. E, como no sistema criminal, as prisões são seletivas, discriminatórias, com a maioria de pobres e negros cumprindo as medidas socioeducativas. Mas aqui a gente ainda tem uma margem de disputa, para reivindicar que esses meninos estudem, tenham uma atenção, que suas famílias sejam colocadas em programas sociais. No sistema prisional, isso não vai acontecer”, explica Lígia.

Sua colega, a defensora Fernanda Balera, acrescenta: “A gente tem adolescentes internados por atos pelos quais adultos não seriam presos, como crimes de ameaça, brigas em abrigo, muitos por brigas em escola. Um roubo tentado, por exemplo, se fossem aplicar a lei como ela é mesmo, a pena ficaria abaixo de quatro anos e ele sairia para um regime aberto, enquanto para um adolescente é muito difícil que isso aconteça. Ele vai ficar internado por no mínimo oito meses a um ano, que na vida dele representa um tempo enorme. Quando você tem 15 anos, ficar até os 16 preso, quanta coisa acontece nesse tempo? Ninguém aqui está dizendo que ele não sabe o que está fazendo. A gente parte do pressuposto de que aquele é um ser em desenvolvimento. Ele tem consciência, mas essa consciência está em desenvolvimento, suscetível a influências, algo muito próprio da adolescência, e não tem como não levar isso em consideração”.

As defensoras contam que não só o ato infracional é levado em conta nas audiências, mas também as condições familiares e até as músicas que eles escutam. “Eu participei de uma audiência em que o menino compunha músicas, e a juíza queria saber que tipo de música, porque, se fosse funk ou rap, não era coisa boa”, lembra Fernanda. “As audiências têm um caráter supermoralizante, o juiz coloca uma lupa na vida do menino, e é alguém de classe média querendo colocar os seus valores próprios em uma pessoa que cresceu em outro meio. Mães são encaminhadas pra laqueadura, para grupos de apoio para aprender a criar seus filhos. Existe, inclusive, um recorte de gênero aí, porque a figura do pai é geralmente inexistente ou mesmo, quando existe um pai, é a mãe que toma as broncas.”

Já na primeira audiência que acompanhou, “por volta de 2000”, o defensor público de Santo André Marcelo Novaes presenciou uma cena reveladora da disposição dos juízes em relação aos adolescentes. “A vítima disse que não reconhecia o réu porque o menino que tinha assaltado usava um boné vermelho. ‘Uma bombeta?’, perguntou o juiz. E abriu uma gaveta cheia de bonés, pegou um vermelho e colocou na cabeça do menino. ‘E agora, você reconhece?’, e a vítima respondeu ‘agora reconheço”.

Tortura, submissão e revistas vexatórias

A violência sofrida por adolescentes sob tutela do Estado foi alvo de uma série de denúncias do defensor Marcelo Novaes, que, em 2013, organizou audiências públicas a respeito das cerca de dez revistas vexatórias diárias pelas quais passam os internos da Fundação Casa, em São Paulo, contadas à reportagem por Pedro*. “Cheguei a me afastar por algum tempo, quando um menino denunciou um caso de tortura e uma semana depois teve ‘um surto psicótico’ enquanto fumava um cigarro e morreu queimado. O processo foi arquivado”, conta.

Durante a investigação de denúncias de torturas em unidades do ABC (região metropolitana de São Paulo), em que 60 adolescentes foram periciados para comprovar uma surra coletiva sofrida na instituição, ele perguntou para um dos meninos se sofriam muitas revistas durante a rotina. A resposta foi estarrecedora: “E ele respondeu que sim, sete, oito, dez, doze por dia. Eles chamam de ‘descascar’. Tira a roupa, abre as nádegas, agacha, torce as roupas. Eles saem de manhã das celas – porque são celas, trancadas, clac, clac – e fazem revista. Faz a higiene, paga revista.

Vai para o refeitório, paga revista. Vai pra escola, paga; volta da escola; paga. Imagina você fazendo isso no seu dia a dia. Eles têm uma linha amarela desenhada no chão, têm que andar olhando para a linha. Andar com a cabeça baixa, as mãos para trás, sempre em posição de submissão. Porque teoricamente eles podem pegar um lápis e matar um agente. Daria para contar os lápis ao invés de revistar, por exemplo, mas não é feito assim. Essa revista está no manual de procedimento.”

Reprodução de manual da Fundação Casa
Reprodução de manual da Fundação Casa

Para Novaes, as revistas não são simples medidas de segurança, mas também uma forma de submeter os adolescentes. “Acho que tem uma coisa de docilização do corpo, uma forma de submeter esses adolescentes, tem uma conotação sexual muito forte, como um estupro institucionalizado. O discurso que se repete é o do ‘mas ele pode me matar’, e eu respondo que é mesmo possível. Porque esse menino já passou por um processo tão violento na vida e, quando ele chega lá, ao invés de você desconstruir essa violência e tentar construir algo positivo, responde com mais violência. Acho que o crime é uma resposta errada pra uma situação errada.

‘O mundo é injusto, meus pais se danam pra pegar uma marmita, meu irmão morreu assassinado pela PM, não entendo nada na escola.’ Daí eu me pergunto: um menino desses, quando sai da instituição, que relação vai ter com o mundo? Teve o caso do menino que colocou fogo na dentista em Diadema. Ele ficou um ano internado. Por quantas dessas revistas, humilhações e torturas ele passou? Será que ele criou um prazer em ver o sofrimento no outro? Até que ponto ele não reproduziu o que viveu? Ele riscou o fósforo, mas quem jogou o álcool? Eu não estou isentando ele da responsabilidade, mas até que ponto nós não contribuímos pra essa situação? Vou dizer uma coisa muito grave: se ele for saudável, ele vai se rebelar.”

Novaes conta que a última denúncia que acompanhou aconteceu uma semana antes das eleições de 2014. “Cheguei na unidade, um calor tremendo, todos os meninos de moletom. Pedi pra tirar e estavam lá as marcas. Os 70 meninos apanharam com cabos de vassoura que depois a gente achou no lixo. Teve uma vez que eu fui visitar uma unidade em Mauá com denúncias de tortura, e o negócio era tão feio que eu pedi no requerimento que os agentes fossem proibidos de usar botas com biqueiras de aço. Nós temos hoje uma sociedade extremamente dividida, com bolsões de miséria absurdos. Temos 30 milhões de jovens de 15 a 30 anos sem atividade, sem perspectiva. São esses caras que vão para o sistema. É nosso exército. A gente recruta preso ali. E essa questão da criminalização dos jovens vai aumentar se você colocar um menino num sistema desses, e não o contrário.”

Extermínio, o fim da linha

A experiência de Lígia como defensora lhe trouxe outra constatação aterradora: são muitos os casos em que adolescentes em conflito com a lei – raramente perigosos, como ela destaca – são exterminados depois de soltos. “Essa imagem do adolescente perigoso, armado, passa muito longe do perfil dos internos da Fundação Casa. Não é a maioria. Mas, ao contrário, é impressionante o número de processos que encerraram por óbito. É realmente muito comum. O que mais uma vez mostra que eles morrem mais do que matam. Geralmente são exterminados pela polícia. Saem da Fundação Casa e, no próximo BO em que se envolvem, são exterminados. Em uma audiência, eu conversei com um promotor e ele, querendo me convencer da redução da maioridade penal, disse que a culpa de os adolescentes serem assassinados era desse sistema que garantia a impunidade. Porque o policial prefere matar do que levar pra delegacia, pra ele ser internado e não acontecer nada; ‘se a punição for mais dura isso não vai acontecer’ [disse o promotor]. Olha onde chegamos.”

“O próprio caso do Champinha, que se usa como exemplo de impunidade, além de ser uma exceção, não faz sentido”, explica Fernanda, referindo-se ao então garoto de 17 anos que sequestrou, torturou e matou um casal de adolescentes. “O crime aconteceu em 2003 e ele está até hoje preso, em um lugar que é uma aberração jurídica chamada Unidade Experimental de Saúde. Lá ficam meninos que foram diagnosticados com transtorno de personalidade, e ninguém sabe muito o que acontece.”

A sociedade, porém, parece esquecer sua responsabilidade constitucional para com os adolescentes, ignorando fatos e números que mostram que eles são mais vítimas de crimes do que culpados pelos altos índices de homicídio do país, e não gozam da propalada imunidade quando em conflito com a lei. Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes, de 2013, revelou que 92,7% dos entrevistados apoiavam a redução da maioridade penal.

“Parece que a sociedade briga por um endurecimento por achar que as medidas socioeducativas são brandas, e na verdade existe uma punição ainda mais dura para os adolescentes porque ela justamente não tem os benefícios dos processos, ela não tem pena e ao mesmo tempo replica todas as violências como as revistas vexatórias, a seletividade, a segregação e as torturas de forma ainda pior. Ainda assim, é preciso que se entenda que o sistema de medidas vai mal, mas a solução não é endurecer ainda mais, e sim investir, melhorar e torná-lo menos punitivista”, defende a advogada Gabriela Ferraz, do ITTC.

Como destaca a pesquisadora Jacqueline, não há provas de que haja relação entre maior encarceramento e diminuição da criminalidade: “A análise conjunta dos dados sobre os homicídios e dos dados sobre encarceramento não permite afirmar que prender mais resulta em menos homicídios. Na maior parte dos estados brasileiros, houve aumento do número de presos e crescimento dos homicídios. Prender mais não resulta necessariamente em redução da violência.”

O desembargador José Renato Nalini, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo e declaradamente contra a redução da maioridade penal, conclui: “Uma sociedade egoísta quer se livrar do incômodo e tem como solução trancar todos: os adultos num sistema prisional carcomido, corrompido, contaminado de vícios insanáveis e que não funciona em todo o planeta. Já somos o terceiro país que mais aprisiona. Queremos agora ser o primeiro que mais encarcera menores. Vamos de 18 para 16, depois de 16 para 14, de 14 para 12 e, finalmente, com algum exagero, teremos berçários-reformatórios. Não é essa a solução. É preciso juízo e fortalecer a responsabilidade cidadã. Resgatar o princípio da subsidiariedade. Não surfar na onda recorrente de criar mais tipos penais, aumentar os castigos, instituir pena de morte. O caminho é outro”.


Paulo*, 29 anos, 9 anos e sete meses passados dentro de sistema penitenciário, concorda. “Se mandar esses meninos direto pra cadeia, a mente vai ficar pesada e depois não adianta segurar porque o bagulho é um câncer. Depois que espalhar, já era, não dá mais pra conter. Eu vi cara morrer, vi a polícia jogar bomba de gás em uma cela pequena com 11 caras dentro… Tem noite que eu sonho que tô lá dentro e não consigo acordar. Imagina isso na mente de uma criança.”

Fonte: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/05/os-interesses-por-tras-da-reducao-da-maioridade-penal-no-brasil.html

CARTA DE ADESÃO A FRENTE NACIONAL CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

sábado, 6 de junho de 2015 0 comentários


CARTA DE ADESÃO A FRENTE NACIONAL CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL



Estamos acompanhando novamente em nosso país a discussão sobre a redução da maioridade penal, numa perspectiva de dispor aos adolescentes brasileiros a responsabilidade pelo grande índice de violência e criminalidade registrados recentemente no território brasileiro. Nunca antes após a constituição de 1988, o Congresso Brasileiro esteve tão perto de cometer tal atrocidade.
 
Sabemos que a redução da idade penal tem como objetivo segregar e encarcerar ainda mais cedo jovens e adolescentes pobres e negro (as), filhos da classe trabalhadora e que serão jogados (as) em celas penitenciárias com adultos de diversas idades e sem qualquer tipo de distinção ou tratamento diferenciado para as especificidades de sua idade.
 
Em função disso militantes, especialistas, movimentos sociais, entidades da sociedade civil, membros do governo, membros do executivo, membros do judiciário e estudantes que atuam em defesa dos direitos humanos de diversos estados brasileiros resolveram criar a Frente Nacional Contra a Redução da Maioridade Penal, com o intuito de unificar as diversas ações espalhadas pelo país, com o objetivo de evitar o retrocesso e violência que a redução da idade penal significaria, não só aos adolescentes, mas à toda sociedade brasileira.

Uma das ações da frente foi criar uma carta de apoio aos direitos das crianças e dos adolescentes contra a redução da maioridade penal.

Eu já aderi essa luta e acho importante que nessa frente conste pessoas e organizações comprometidas como você e o agrupamento político, filosófico e ideológico ao qual você faz parte.

Por pensar assim peço que se você tiver interesse em compor a FRENTE NACIONAL CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL favor enviar os dados abaixo:

NOME:

ESTADO:

CIDADE:

ORGANIZAÇÃO:

E-mail:

PARA: WHATSAPP: 011 96522 5016 OU E-MAIL: frentenacionalpelos18@gmail.com.



Confira quem mantém essa bandeira erguida:


ESTADO DO ACRE


NOME: Rafael Almeida
CIDADE: Rio Branco - AC
ORGANIZAÇÃO: Instituto Socioeducativo do Estado do Acre - ISE/AC
                                     
NOME: Giovanny Kley
CIDADE: Rio Branco - AC
ORGANIZAÇÃO: UNEGRO – N’ativa


ESTADO DE ALAGOAS


NOME: Rickelane Gouveia Presidente
CIDADE: Maceió - AL
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Criança/AL

NOME: Aline Kelly da Silva
CIDADE: Maceió – AL
ORGANIZAÇÃO: Psicóloga e Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de AlagoaS

NOME: Rickelane Gouveia Presidente
CIDADE: Maceió - AL
ORGANIZAÇÃO: Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente - CEDCA

NOME: Rosa Augusta Melo
CIDADE: Maceió - AL
ORGANIZAÇÃO: Acorde - CEDCA

NOME: Ubiratânia M. A. S. Rodrigues Soares
CIDADE: Maceió - AL
ORGANIZAÇÃO: Associação Alagoana de Prevenção as Drogas Atenção a Saúde Mental, Ecologia Humana – Acorde

NOME: Vladimir Caramori Borges de Souza
CIDADE: Maceió - AL
ORGANIZAÇÃO: Professor Associado da Universidade Federal de Alagoas


ESTADO DO AMAPÁ


NOME: Randolph Antonio Pinheiro da Silva
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO: Movimento Proteja Amapá - Movimento Popular de Saúde do Amapá

NOME: Fabricio Ribeiro
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO:

NOME: katia Samara Silva de Freitas
CIDADE: Laranjal do Jari - AP
ORGANIZAÇÃO: Conselho tutelar

NOME: Tatiana Gemaque Rezende
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO: Secretária Municipal Para Assuntos Extraordinários de Macapá

NOME: Aurises da Silva Tito
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO: Movimento de Meninos e Meninas de Rua – Macapa

NOME: Juliana de Castro Nogueira Ribeiro
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO:



ESTADO DO AMAZONAS


NOME: Joelma Araújo
CIDADE: Manaus - AM
ORGANIZAÇÃO: Pequeno Nazareno

NOME: Lucimar Weil
CIDADE: Manaus – AM
ORGANIZAÇÃO: CEDECA Pé na Taba

NOME: LUCIMAR WEIL
CIDADE: Manaus - AM
ORGANIZAÇÃO: CEDECA Pé na Taba.

NOME: Clóvis de Almeida Silva
CIDADE: Codó - MA
ORGANIZAÇÃO: Plan International

NOME: Viviane Brasil Soares
CIDADE: Manaus- AM
ORGANIZAÇÃO: Presidente da JSB

NOME: Naiara Gaspar de Holanda Lima
CIDADE: Manaus - AM
ORGANIZAÇÃO: Assistente Social, Mestranda em Serviço Social - Ufam


ESTADO DA BAHIA


NOME: Carlota Ibertis
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal da Bahia

NOME: Adson Bizerra Lima
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO:União de Negros pela Igualdade – UNEGRO

NOME: Andreza Bispo dos Anjos Santos
CIDADE: Antônio Cardoso - BA
ORGANIZAÇÃO: Rede de mulheres negras da Bahia

NOME: Adson Bizerra Lima
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: União de Negros pela Igualdade – UNEGRO

NOME: Leticia Maria Vasconcelos
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: CIEG (Centro Interdisciplinar de Estudos)

NOME: Antonia Luzia Silva Santos
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: ACTEBA - Assoc. Conselheiros Tutelares e ex.Conselheiros do Estado da Bahia

NOME: Sonia Bandeira
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: AVANTE – EDUCAÇÃO E MOBILIZAÇÃO SOCIAL

NOME: Diana Cleide Chagas
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: AVANTE – EDUCAÇÃO E MOBILIZAÇÃO SOCIAL

NOME: Jucélia Teixeira
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Fabiane Brazileiro
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Irmã Francisca Teresa de Jesus
CIDADE: Juazeiro – BA
ORGANIZAÇÃO: Congregação das Irmãs Oblatas de São Luís Gonzaga

NOME: Roosevelt Duarte Motta
CIDADE: Juazeiro - BA
ORGANIZAÇÃO: Instituto Gnóstico de Antropologia do Brasil Seccional I da Cidade de Juazeiro – BA

NOME: Antonio Marcos da Silva
CIDADE: Poções - BA
ORGANIZAÇÃO: Bacharel Serviço Social, Ex-Conselheiro Tuelar e  Agente Comunitário de Saúde.

NOME: João Bonfim Cardoso Cerqueira
CIDADE: Poções - BA
ORGANIZAÇÃO: Executiva Municipal do PT

NOME: Rhaic Pastor Piancó
CIDADE: Vitória da Conquista - BA
ORGANIZAÇÃO: Enecos Coletivo Sertão Frio

NOME: Mana Pinho
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Mana Pinho e Associados Consultoria em Gestão do SUAS

NOME: Wellington de Santana Oliveira
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Centro de Práticas e de Estudos de Diversidades Culturais

NOME: Adriana Antonia Alves do Nascimento
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO:

NOME: José Humberto
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Ivana Castro
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Ana Luiza Buratto
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Andréa Oliveira
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Gláucia Lara
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME:  Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP03)
CIDADE: Salvador - BA

NOME: Maria Mercia Rodrigues
CIDADE: Santo Antonio de  Jesus - BA
ORGANIZAÇÃO: Professora de Escola Pública e Catequese Católica

NOME: Celi Zulke Taffarel
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Professora Dra. Titular Faced UFBA

NOME: Angela Luhning
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Professora da UFBA e Diretora da Fundaçao Pierre Verger

NOME: Antônio Cardoso
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Rede de mulheres negras da Bahia, estudante cotista, movimento jovem.

NOME: Andreza Bispo dos Anjos Santos
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO:

NOME: José Mário Grave de
CIDADE: Cidade: Madre de Deus - BA
ORGANIZAÇÃO: Conselho tutelar

NOME: Maria Thereza Marcilio
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Ana Oliva Marcilio
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social NOME:

NOME: Eveline Correia Gonçalves
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: UFBA

NOME Carlos Vianna Junior
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Andréa Fernandes Pereira
CIDADE: Salvador - BA
ORGANIZAÇÃO: Avante - Educação e Mobilização Social

NOME: Raimundo Jorge de Souza
CIDADE: Juazeiro - BA
ORGANIZAÇÃO: Comissão de Juventude da CNBB Regional Nordeste 3/Bahia e Sergipe - Diocese de Juazeiro-BA

NOME: Wilde Dias Barreto Barros
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Jornalista

NOME: Cláudia Mascarenhas Fernandes
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Instituto Viva Infância

NOME: Mem Costa de Sousa
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Instituto de Desenvolvimento Sociocultura APOMPAZ

NOME: Levinda Maria Naves Ferreira
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: ComPopconselho

NOME: Antonia  Elita Santos
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Fundac

NOME: Menalia Figueredo
CIDADE: Jequié - BA  
ORGANIZAÇÃO: Assessora Diocesana da PJ

NOME: Rosângela Silva Carneiro
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Educavida

NOME: Mana Pinha
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Mana Pinha e Associados Consultoria em Gestão do SUAS

NOME: Robson Carlos Almeida Corrêa
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Instituto Raça Direitos Humanos e Cidadania

NOME: Cheila Queiroz
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Conselho Federal de Serviço Social

NOME: Boaventura Francisco Maia Neto
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Luis Paulo Bastos
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Coletivo de Entidades Negras/BA

NOME: Severino Soares Agra Filho
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Professor Associado da Universidade Federal da Bahia

NOME: Luiz Roberto Santos Moraes
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: Professor Titular em Saneamento e Participante Especial da Universidade Federal da Bahia

NOME: ELI Zulke Taffarel
CIDADE: Salvador - BA       
ORGANIZAÇÃO: APUB- Sincicalizada a APUB

NOME: Luiz Antônio Costa Araújo
CIDADE: Cachoeira - BA     
ORGANIZAÇÃO: Ponto de Cultura Rede Terreiro Cultural CEPASC

NOME: Cristina Maria Alves de Jesus
CIDADE:Salvador - BA        
ORGANIZAÇÃO: COMPOP – Conselho de Comunicação e Políticas Públicas

NOME: Juciara Alves dos Santos
CIDADE:Feira de Santana - BA     
ORGANIZAÇÃO: UNB

NOME: Hailton Getulio Magno
CIDADE:Feira de Santana - BA     
ORGANIZAÇÃO: Socioeducação - Artes


ESTADO DO CEARÁ


NOME: Junia Conceição Leonel
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: O Pequeno Nazareno

NOME: Magda Maria Silva Costa
CIDADE: Fortaleza - CE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Tania de Fatima Gurgel Nobre
CIDADE: Fortaleza  - CE
ORGANIZAÇÃO: FUNCI - Fundacao da Crianca e da familia Cidada - Fortaleza

NOME: Germerson
CIDADE: Juazeiro do Norte – CE
ORGANIZAÇÃO: UJC

NOME: Natasha Cruz
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará – CEDECA

NOME: João Antonilson de Sousa Filho
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Projeto Enxame

NOME: Claudiney Souza de Arruda
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Conselho de Integração Social - Núcleo Sonho de Criança

NOME: Aurélio Araújo
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Náglia de Castro Florêncio
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Universidade Estadual do Ceará/Núcleo de Pesquisas Sociais – NUPES

NOME: Verônica Maciel
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Organização: Instituto Sinergia Social

NOME: Quênia de Oliveira
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Campanha Nacional Criança Não é de Rua

NOME: José Adauto Gomes Moura
CIDADE: Ipu -CE
ORGANIZAÇÃO: Núcleo PSOL/Ipu

NOME: Francisco Rafael Agostinho Araújo
CIDADE: Fortaleza - CE
ORGANIZAÇÃO: Associação Beneficente O Pequeno Nazareno

NOME: Juliana Guimarães e Silva
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Universidade de Fortaleza - UNIFOR

NOME: Celmaria Simao
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Associação Santo Dias

NOME: Marco Passerini
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Pastoral Carcerária Regional NE1 CNBB

NOME: Leidiane Gomes
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Estudante de Serviço Social

NOME: Edna Rebouças
CIDADE: Fortaleza-CE
ORGANIZAÇÃO: Casa Abrigo Sta. Gianna.

NOME: Manoel Torquato
CIDADE: Fortaleza - CE
ORGANIZAÇÃO: Campanha Nacional Criança Não é de Rua     

NOME: Mara Carneiro
CIDADE: Fortaleza - CE
ORGANIZAÇÃO: CEDECA - FDCA     
        

DISTRITO FEDERAL


ORGANIZAÇÃO: Refundação Comunista
CIDADE: Brasília – DF

NOME: Victor Soares Fernandes
CIDADE: Planaltina - DF
ORGANIZAÇÃO: Partido dos Trabalhadores

NOME:Hellen Cristhyan Correia Boaventura
CIDADE: São Sebastião - DF
ORGANIZAÇÃO:Casa Frida (fundadora e coordenação) e O Estopim (coordenação nacional)

ORGANIZAÇÃO: Movimento de Olho na Justiça
CIDADE: Brasilia  - DF

NOME: Francisca Gracietti Soares Marques
CIDADE: Planaltina – DF
ORGANIZAÇÃO:

ORGANIZAÇÃO:  Casa de Cultura Carlos Marighella
CIDADE: Brasília -  DF (Mestre D'Armas-Planaltina-DF)

NOME: AFONSO MAGALHAES
CIDADE:GUARÁ - DF
ORGANIZAÇÃO: Central de Movimentos Populares - DF

ORGANIZAÇÃO: Casa Frida e o Estopim
CIDADE: São Sebastião – DF

NOME: Ana Carolina Carvalho
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Marcelo Carneiro Medeiros de Souza
CIDADE: Brasília -DF
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de saúde e Secretaria de Políticas para Crianças, adolescentes e juventude

NOME: Maria Belum
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Refundação Comunista – DF

NOME: Pedro César Batista
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Movimento de Olho na Justiça – MOJUS

NOME: Jorge Bezerra 
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Sociedade Maranhense de Direitos Humanos - SMDH
NOME: Raimer Rodrigues Rezende
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Conselho Distrital de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos - CDPDDH

NOME: Maria Belum
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Partido da Refundação Comunista

NOME: Daniella Santos
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Universidade de Brasília – UnB

NOME: Maria Aparecida Bandeira Nazário
CIDADE: Planaltina - DF
ORGANIZAÇÃO: Instituto Recomeço/DF

NOME: Paloma Gomes
CIDADE: Sobradinho - DF
ORGANIZAÇÃO: Advogada

NOME: Luiza Sousa de Carvalho
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: UnB

NOME: Anderson Pereira de Andrade
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Promotor de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude – MPDFT

NOME: Iran Alves Magalhães dos Santos
CIDADE: Águas Claras  - DF
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Maria Aparecida Bandeira Nazário
CIDADE: Águas Claras  - DF
ORGANIZAÇÃO: Instituto Recomeço-DF

NOME: Wagner Elias Pinheiro dos Santos
CIDADE: Ceilândia - DF
ORGANIZAÇÃO: CASESO

NOME: Francisco Antonio de Sousa Brito
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Coordenação Geral de Medidas Socioeducativas da Secretaria Nacional de Assistência Social do MDS

NOME: Clayse Moreira e Silva
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Amigos da Paz

NOME: Everardo de Aguiar Lopes
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Amigos da Paz
        
NOME: Everardo de Aguiar Lopes
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: ANCED – Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente

NOME: Maria Lúcia Leal
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: UNB

NOME: Dhay Borges
CIDADE: Brasília
ORGANIZAÇÃO: Movimento Negro - CEN - Fórum de Juventude Negra

NOME: Lucélia Aguiar
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Advogada - Ativista do Movimento Negro

NOME: Anderson Rafael
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Projeto Meninos e Meninas de Rua

                                     
NOME: Patrícia Mello
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Brasília Aldeias infantis SOS Brasil/CDCA/FDCA/ DF

NOME: Elisa Costa
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: AMSK e Conselheira Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Marcelo Nascimento
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

NOME: Cecilia Nunes Froemming
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

NOME: Juliana Castro
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Doutoranda em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília

NOME: Heloisa Oliveira       
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Fundação ABRINQ

NOME: Erivan Hilário
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: MST

NOME: Giuliana Cores
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

NOME: Leila Lopes
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: Panella de Expressão

NOME: Clayse Moreira e Silva
CIDADE: Brasília - DF
ORGANIZAÇÃO: ANCED - Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Aolescente


ESTADO DO ESPÍRITO SANTO


NOME: Cristiano Luiz Ribeiro de Araújo
CIDADE: Vitória - ES
ORGANIZAÇÃO: Prefeitura Municipal de Vitória

NOME: Denise Pinheiro Quadros
CIDADE: Vitória - ES
ORGANIZAÇÃO: UNCME/ES

NOME: Pandora Da Luz
CIDADE: Vitória - ES
ORGANIZAÇÃO: Nação Hip Hop Brasil/ ES

NOME: Rafael Meneguelli Bonone
CIDADE: Vitória - ES
ORGANIZAÇÃO: Prefeitura Municipal de Vitória

NOME: Selma dos Santos Dealdina
CIDADE: Vitória - ES
ORGANIZAÇÃO: CONAQ - Coordenacão Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas
NOME: Gabriel Freires
CIDADE: Cariacica - ES
ORGANIZAÇÃO: Campanha Nacional Criança Não é de Rua

NOME: Clerismar Lyrio
CIDADE: Cariacica - ES
ORGANIZAÇÃO: MNMMR/ES - Forum Estadual de Defesa dos Direitos de Criança e Adolescente/ Vitória

NOME: Tânia Molaes
CIDADE: Serra - ES
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Lula Rocha
CIDADE: Cariacica - ES
ORGANIZAÇÃO: Fórum Estadual de Juventude Negra – FEJUNES

NOME: Duarte de OUZA Rosa Filho
CIDADE: Vila Velha - ES
ORGANIZAÇÃO: Professor da Universidade Federal do Espírito Santo

NOME: Mirt’s Sants
CIDADE: Vitória - ES
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Negrada e Movimento de Mulheres Negras Capixabas


ESTADO DE GOIÁS


NOME: Marivânia Palmeira de Oliveira Feres
CIDADE: Cidade Ocidental - GO
ORGANIZAÇÃO: Ministério Público do Estado de Goiás

NOME: Daiana Maria de Jesus
CIDADE: Goiania - GO
ORGANIZAÇÃO: Estudante de Serviço Social da PUC-GO

NOME: Seluta Rodrigues  de Carvalho
CIDADE: Goiânia - GO
ORGANIZAÇÃO: Circo Laheto

NOME: Rudmile Silva dos Santos
CIDADE: Goiânia - GO
ORGANIZAÇÃO: Estudante de Serviço Social, PUC Goiás

NOME: Rosângela Cruz Ferreira Rodrigues
CIDADE: Goiânia - GO
ORGANIZAÇÃO: Centro Salesiano do Adolescente Trabalhador

NOME: Gilberto José de Araújo
CIDADE: Goiania - GO
ORGANIZAÇÃO: SME Goiânia - EPAZ

NOME: Stéphani Valéria de Oliveira
CIDADE: Goiânia - GO
ORGANIZAÇÃO: Goiás Contra a Redução

NOME: Eduardo Hirata
CIDADE: Corumbaiba - GO
ORGANIZAÇÃO: Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos Carmen Bascarán (voluntário)

NOME: Genivalda Araujo Cravo dos Santos
CIDADE: Goiania - GO
ORGANIZAÇÃO: Secretaria Municipal de Educação - Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente - Círculo de Cooperação da URI - Conselheira Global da Iniciativa das Religiões Unidas - URI - Região América Latina e Caribe

NOME: Mariana Crepaldi de Paula
CIDADE: Jataí - GO
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de Goiás

NOME: Rosângela Cruz Ferreira Rodrigues
CIDADE: Goiania - GO
ORGANIZAÇÃO: Cento Salesiano do Adolescente Trabalhador – CESAM/GO

NOME: Lukas Thiago Cardoso
CIDADE: Luiziânia - GO
ORGANIZAÇÃO: Grupo de Ensino, Pesquisa, Extensão em Educação Popular/FE/UNB
NOME: Samuel Werneck
CIDADE: Ceres - GO
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Juventude - Conselho Nacional de Juventude

NOME: Marlúcia Rodrigues Coutinho
CIDADE: Goiania - GO
ORGANIZAÇÃO: SME / EPAZ

NOME: Mauro Lucio Ribeiro Lima
CIDADE: Goiânia - GO
ORGANIZAÇÃO: MMMR-GO

NOME: Eduardo Mota
CIDADE: Goiânia - GO
ORGANIZAÇÃO: MMMR-GO - Coletivo de Direitos Humanos do Cerrado


ESTADO DO MARANHÃO


NOME: Elizabeth Maria de Faria Ramos
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Instituto Brasileiro das Práticas Restaurativas

NOME: Leandro Diniz
CIDADE: São Luiz - MA
ORGANIZAÇÃO: MST

NOME: Bruno Cacau
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Juventude do Partido dos Trabalhadores

NOME: Luis Carlos Rosa Caldeira.
CIDADE: São João do Paraíso - MA
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: kassia camila da silva de Araujo.
CIDADE: Itapecuru Mirim - MA
ORGANIZAÇÃO:MST

NOME: Ana Amelia Bandeira Barros
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Centro de Cultura Negra do Maranhão – C C N

NOME: Abimael da Costa Pereira
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Jornalista Militante na Área de Direitos Humanos

NOME: Mauro Lucio Ribeiro Lima
CIDADE: Açailândia - MA
ORGANIZAÇÃO: Voluntário do CDVDH-CB

NOME: Deilson Louzeiro
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Fórum DCA

NOME: Jonatan Soares
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Juventude - Fórum DCA – Secretaria de Juventude/MA

NOME: Enilson Costa Ribeiro
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Rede Amiga da Criança

NOME: Carlos Sérgio Sousa Araújo
CIDADE: São Luís - MA
ORGANIZAÇÃO: Associação de Conselheiros (as) e Ex-Conselheiros(as) Tutelares do Estado do Maranhão - ACECTMA


ESTADO DO MATO GROSSO


NOME: Carlos Roberto de Albuquerque
CIDADE: Cuiabá- MT
ORGANIZAÇÃO: CMDCA


ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL


NOME: Eliane Bittencourt
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Samia Roges Jordy Barbieri
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: Conselho Federal da OAB junto ao Conanda

NOME: Lidiane Kasiorowski Borges
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Clemência Bitancourt Donatti
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Nilda da Silva Pereira
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Iracema Vasconcelos Silva
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Gabriel Nolasco
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Fernando dos Santos Pereira
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO

NOME: Neuza Araujo da Silva Lima
CIDADE: Campo Grande - MS
ORGANIZAÇÃO: ituto Brasileiro de Inovações Pró-sociedade Saudável Centro Oeste – IBISS|CO


ESTADO DE MINAS GERAIS


NOME: Anabela Almeida Costa e Santos Peretta
CIDADE: Uberlândia - MG
ORGANIZAÇÃO: Instituto de Psicologia - Universidade Federal de Uberlândia

NOME: Helena Perdigão Alves
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Creche Etelvina Caetano de Jesus

NOME: Junio Adao Ribeiro Leite
CIDADE: São João del-Rei - MG
ORGANIZAÇÃO: Núcleo Vertentes de EJA/UFSJ

NOME: José Carlos Meireles de Souza
CIDADE: Governador Valadares - MG
ORGANIZAÇÃO: Conselho Municipal de Saúde - Conselho Municipal de Alcool e outras Drogas – COMADGV

NOME: DOUGLAS CABRAL DANTAS
CIDADE: CONTAGEM - MG
ORGANIZAÇÃO: PUC MINAS

NOME: Maria Mattos
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar de Maruim

NOME: Maria Lúcia Vidal Mattos
CIDADE: Juiz de Fora - MG
ORGANIZAÇÃO: Professora curso Psicologia

NOME: Alzira de Oliveira Jorge
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Faculdade medicina - UFMG

NOME: Maria Ignez Costa Moreira
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Faculdade de Psicologia - PUC Minas

NOME: Patrícia Eliane de Melo
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: PUCMINAS

NOME: Walter Andrade Parreira
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Simone Rocha Gouveia
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Obras Educativas Jardim Felicidade

NOME: Deborah Rosária Barbosa
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de Minas Gerais

NOME: André Franzini
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Secretariado Nacional da Pastoral do Menor Nacional

NOME: Leila José Veronez
CIDADE: Ouro Fino - MG
ORGANIZAÇÃO: Projeto Estrela da Manhã

NOME: Gladys Rodrigues de Carvalho
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Grupo Teatro Andante

NOME: Helena Perdigão Alves
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Creche Etelvina Caetano de Jesus

NOME: Fernanda Virgínia Maria Gomes Batista
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Associação Municipal de Assistência Social

NOME: Fernanda Vitor Campolina Silva
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Associação Novella

NOME: Maria Fernanda
CIDADE: Varginha - MG
ORGANIZAÇÃO: Frente Estadual de Minas Gerais Contra a Redução da Maioridade Penal (em articulação)

NOME: Alisson Messias       
CIDADE: Varginha - MG
ORGANIZAÇÃO: Frente Estadual de Minas Gerais Contra a Redução da Maioridade Penal (em articulação)

NOME: Isabela Gibran
CIDADE: Varginha - MG
ORGANIZAÇÃO: Frente Estadual de Minas Gerais Contra a Redução da Maioridade Penal (em articulação)

NOME: Maria Fernanda
CIDADE: Varginha - MG
ORGANIZAÇÃO: Frente Estadual de Minas Gerais Contra a Redução da Maioridade Penal (em articulação)  

NOME: Maria
CIDADE: Belo Horizonte - MG
ORGANIZAÇÃO: Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher – Movimento Graal no Brasil – Frente da Reforma Urbana


ESTADO DO PARÁ


NOME: Adriana Elisa de Alencar Macedo
ESTADO:  Pará e Amapá
ORGANIZAÇÃO: Conselho Regional de Psicologia ( CRP 10)

NOME:Ricardo Washington Moraes de Melo
CIDADE: Belém - Pará
ORGANIZAÇÃO: Ordem dos advogados do Brasil - Seção Pará.  OAB/PA

NOME: Eliana Penedo de Matos
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: FASEPA

NOME: Leila Rosa Palheta do Nascento
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: Movimento de Mulheres Rosas de Março

NOME: Adriana Aviz
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: Núcleo de Educação Popular/ Nep

NOME: Sandra Helena Borges
CIDADE: Belem - PA
ORGANIZAÇÃO:Pastoral do manor Arquidiocesana

NOME: Sidney Sarmanho
CIDADE: Belem - PA
ORGANIZAÇÃO: Aspa.pa (Associação de Pais e alunos da Educação Pública do Pará)

NOME: Sandra Karina Barbosa Mendes
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: Grupo de Estudo Tranversalizando, UFPA

NOME: Dilermando Gomes Nogueira
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: SEDUC

NOME: Nara Santos
CIDADE: Belém, Abaetetuba, Santarém e Macapá - PA 
ORGANIZAÇÃO: Pastoral do Menor Regional Norte 2

NOME: Juliana Cordeiro Modesto   
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural(PPGMP/UFPEL)

NOME: Brígida Nazaré Rodrigues de Castro
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Inailza Rosário Barata Silva (Naná)
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO: Fcria

NOME SOCIAL: Almeida Junior
CIDADE: Macapá - AP
ORGANIZAÇÃO: Associação Amapaense Aprendendo e Ensinando a Viver/  AMEVIVER

NOME: Fernando Arthur de Freitas Neves
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Genylton Odilon Rego da Rocha
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: UFPA

NOME: Angelina Falcão Valente
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: Frente Estadual do Pará Contra a Redução da Maioridade Penal - Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente - CEDECA

NOME: Luciano Betiate       
CIDADE: Ibiporã         - PA
ORGANIZAÇÃO: Portal do Conselho Tutelar

NOME: Margarth Pinheiro Gondim
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: Movimento de Vanguarda de Icoaraci

NOME: Táta Kinamboji (Arthur Leandro)
CIDADE: Ananindeua - PA 
ORGANIZAÇÃO: REATA – Rede Amazônica de Tradições de Matriz Africana

NOME: Mametu Nangetu
CIDADE: Belém - PA 
ORGANIZAÇÃO: Instituto Nangetu

NOME: José Guilherme Wady Santos
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Micropolitica do Trabalho e o Cuidado em Saúde  (UFRJ)

NOME: Ana Celina Bentes Hamoy
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: CEDECA-Emaús

NOME: Ana Lúcia Santos da Silva22
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Micropolitica do Trabalho e o Cuidado em Saúde  (UFRJ)

NOME: Fernando Sampaio
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: Conselheo Tutelar

NOME: Ana Célia Cruz de Oliveira
CIDADE: Ananindeua - PA
ORGANIZAÇÃO: Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará - FASEPA

NOME: Rosivaldo Alves Vasconcelos
CIDADE: Limoeiro do Ajurú - PA
ORGANIZAÇÃO: CMDCA

NOME: Ana Celina Bentes Hamoy
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: CEDECA-Emaús

NOME: Raimundo Sampaio Freitas
CIDADE: Limoeiro do Ajurú - PA
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Gisele de Souza Cruz da Costa
CIDADE: Belém - PA
ORGANIZAÇÃO: OAB – Conselheira Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente – Comitê de Enfrentamento à Violencia Sexual Contra Criança e Adolescente – Comissão de Enfrentamento ao Trabalho Infantil

NOME: Zoraia
CIDADE: Barcarena - PA
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Angelina Falcão Valente
CIDADE: Belém - PA  
ORGANIZAÇÃO: Frente Estadual do Pará Contra a Redução da Maioridade Penal - Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente - CEDECA

NOME: Luciano Betiate        
CIDADE: Ibiporã         - PA
ORGANIZAÇÃO: Portal do Conselho Tutelar

NOME: Margarth Pinheiro Gondim
CIDADE: Belém - PA  
ORGANIZAÇÃO: Movimento de Vanguarda de Icoaraci

NOME: Táta Kinamboji (Arthur Leandro)
CIDADE: Ananindeua - PA  
ORGANIZAÇÃO: REATA – Rede Amazônica de Tradições de Matriz Africana

NOME: Mametu Nangetu
CIDADE: Belém - PA  
ORGANIZAÇÃO: Instituto Nangetu

NOME: Antonio Otávio Silva Moura
CIDADE: Maracanã - PA      
ORGANIZAÇÃO: JUVA- Juventude Unida pela Vida na Amazônia

NOME: João Lucas da Costa Silva
CIDADE: Belém - PA  
ORGANIZAÇÃO: PAMEN- PCU-UNICEF-CEDCA-PA

NOME: Jean-François yves Deluchey
CIDADE: Belém - PA  
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal do Pará



ESTADO DA PARAÍBA


NOME: Socorro Carvalho
CIDADE: Campina Grande - PB
ORGANIZAÇÃO: Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua - Fórum DCA - PB

NOME: Antonio Carlos Veloso Correia de Oliveira Júnior (Carlinhos)
CIDADE: João Pessoa – PB
ORGANIZAÇÃO:Estudante de Direito da Faculdade Maurício de Nassau,
Educador Social da Pastoral do Menor da Arquidiocese da Paraíba,
Orientador Social no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Prefeitura Municipal de João Pessoa  e membro do Fórum Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Socorro Carvalho
CIDADE: Campina Grande /PB
ORGANIZAÇÃO: Movimento Nacional de Meninos (as ) de Rua  e Fórum DCA e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Mariana Peres Stucchi
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Ivanilda Gomes
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: Centro Margarida Maria Alves - Fórum DCA

NOME: Wilson Quirino
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: ONG - OFICINA DA CIDADANIA

NOME: Mateus Firmino
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: Rede de Jovens do Nordeste

NOME: Andrezza Ribeiro
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: Pastoral do Menor - Pastoral da Juventude do Meio Popular

NOME: Roberta Chaves
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: Pastoral do Menor - Rede de Educação Cidadã     

NOME: Túlio Cabral
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: Levante Popular da Juventude - Diretório Central de Estudantes da UFPB

NOME: Antonio Carlos Veloso Correia
CIDADE: João Pessoa - PB
ORGANIZAÇÃO: Pastoral do Menor - Fórum DCA PB - Levante Popular da Juventude

NOME: Janduy Acendino Cassemiro de Assis
CIDADE: Cajazeiras - PB
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar


ESTADO DO PARANÁ


NOME: Cléia Renata Teixeira de Souza
CIDADE: Maringá e Corumbá - PR
ORGANIZAÇÃO: MNMMR – AESMAR – UFMS

NOME: Luana de Castro Coqueiro
CIDADE: Curitiba - PR
ORGANIZAÇÃO: Sociedade Civil Organizada

NOME: Roselania Francisconi Borges
CIDADE: Maringá - PR
ORGANIZAÇÃO: Conselho Regional de Psicologia

NOME: Josimar Priori
CIDADE: Sarandi - PR
ORGANIZAÇÃO: Professor do Instituto Federal do Paraná e Doutorando pelo Programa de pós-graduação em Sociologia da UFSCar

NOME: Reginaldo Aparecido Alves
CIDADE: Tomazina - PR
ORGANIZAÇÃO: Ponto de cultura Nhanimba'e Kwaa porã

NOME: Eliana Cristina dos Santos
CIDADE: Londrina - PR
ORGANIZAÇÃO: Universidade Estadual de Londrina / Departamento de Serviço Social

NOME: Maria Meira
CIDADE: Curitiba - PR
ORGANIZAÇÃO: Fórum DCA Curitiba

NOME: Cesar Fernandes
CIDADE: Curitiba - PR
ORGANIZAÇÃO: Sindicato dos Psicólogos do Paraná
                           
NOME: Douglas Moreira
CIDADE: Curitiba - PR
ORGANIZAÇÃO: Fórum DCA/PR

NOME: Luciane Silveira       
CIDADE: Pinhais - PR
ORGANIZAÇÃO: Fórum DCA Curitiba


ESTADO DO PERNAMBUCO


NOME: Ines Dias
CIDADE: Olinda - PE
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Desenvolvimento Social e Juventude

NOME: Gicélia Souza
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Assistente Social e Educadora Social no Coletivo Mulher Vida

NOME: Eduardo Paysan Gomes
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Chefe de Divisão de Criança e Adolescente/ Gerência de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos/ Secretaria Executiva de Direitos Humanos / Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

NOME: Cidicleiton Luiz da Silva
CIDADE: Paulista -  PE
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Força Tururu

NOME: Gicélia Domingos de Carvalho Souza
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Mulher Vida

NOME: Ivisnaldo Simplício,
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Secretaria Executiva de Direitos Humanos do Recife

NOME: Ingride Alves
CIDADE: Oroco – PE
ORGANIZAÇÃO: Sindicato dos trabalhadores rurais

NOME: Karen Julyanna da Silva Almeida
CIDADE: Garanhuns – PE
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Sanielly Brandão Ferreira
CIDADE: Petrolina - PE
ORGANIZAÇÃO: Ação Coletiva Pernambuco

NOME: Jorge Adriano Costa Serra
CIDADE: Viana - PE
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Juventude

NOME: Luis Carlos Soares Costa
CIDADE: Iati - PE
ORGANIZAÇÃO: Ação Coletiva  e Coordenador da Casa das Juventudes.

NOME: Joelson Santos Silva
CIDADE: Caruaru- PE
ORGANIZAÇÃO: MST

NOME: Sunamita Gonçalves
CIDADE: Petrolina - PE
ORGANIZAÇÃO: Ação Coletiva Pernambuco

NOME: Marcelo Santa Cruz
CIDADE: Olinda – PE
ORGANIZAÇÃO: Câmara Municipal de Olinda – Vereador, Advogado e Militante do Movimento Nacional de Direitos Humanos

NOME: Adriano Modesto de Souza
CIDADE: Cabrobó/PE
ORGANIZAÇÃO: Ação Coletiva

NOME: Kacirone Martins de Lima
CIDADE: Olinda - PE
ORGANIZAÇÃO: Serviço de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos Familiares e Comunitários

NOME: Diideanne Cynara Alves Nunes
CIDADE: Jaboatão dos Guararapes - PE
ORGANIZAÇÃO: Assistente Social da Secretaria de Assistência Social - Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes

NOME: Sheila de Lima Samico
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: EPS

NOME: Natuch Lira
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Cendhec - Centro Dom Helder Camara de Estudos e Ação Social

NOME: André Tavares
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2

NOME: José Severino dos Santos
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: O Pequeno Nazareno

NOME: Nando Cintra
CIDADE: São José do Egito - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Nazaré Barros
CIDADE: Caruarú - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Hirgo Cardoso
CIDADE: Surubim - PE
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Juventude e Conselho Municipal da Juventude

NOME: Marilene Felix de Menezes
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Educadora social

NOME: Daniel Barbosa
CIDADE: Paulista - PE
ORGANIZAÇÃO: Igreja Anglicana – Movimento Evagelico progrecista

NOME: Élio Braz Mendes
CIDADE: Recife - PE
ORGANIZAÇÃO: Tribunal de Justiça de Pernambuco – TJPE

NOME: Ari Amorim
CIDADE: Serra Talhada
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar – Pastoral do Menor

NOME: Charles Sá
CIDADE: Belém de São Francisco
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar
                  
NOME: Geraldo Nobrega
CIDADE: Recife - PE   
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar
                  
NOME: Clemilda Santos
CIDADE: São José do Egito - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Diego de Vera
CIDADE: Vertentes - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: João Batista JR
CIDADE: Jaboatão dos Guararapes - PE
ORGANIZAÇÃO: MNMMR - PE

NOME: André Torres
CIDADE: Recife - PE   
ORGANIZAÇÃO: Membro do Setorial da Criança e do Adolescente - PT

NOME: André Caldas
CIDADE: Chã de Alegria - PE        
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Janice Ferreira da Silva
CIDADE: Cabo de Santo Agostinho - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Joselma Nascimento
CIDADE: Paulista - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar
        
NOME: Adriane Maciel
CIDADE: Caruaru        - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar
        
NOME: Geraldo Nóbrega
CIDADE: Recife - PE   
ORGANIZAÇÃO: FCNCT-PE
        
NOME: Rodrigo Batista          
CIDADE: Tabira - PE  
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar
        
NOME: Eleonora Pereira
CIDADE: Recife - PE   
ORGANIZAÇÃO: Comitê Estadual de Direitos Humanos

NOME: Antonio Alves
CIDADE: Serra Talhada        - PE 
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Maria Rosileide        
CIDADE: Arcoverde - PE
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar


ESTADO DO PIAUÍ


NOME:Joselda Nery
CIDADE: Teresina-  PI
Organizaçao: Conselho Estadual de Assistencia Social CEAS- Representando La ONG –ASA

NOME: Ana Flávia Alves da Silva
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Associação de Conselheiros Tutelares do Estado do Piauí

NOME: Roberto Melado Cordeiro Júnior
CIDADE:Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Ouvidoria Geral da Da Defensoria Pública do Estado do Piauí

NOME: Rita Lemos
CIDADE: Teresina-PI
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Ariana Paz
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇAO: ASA/Casa de zabelê

NOME:Tânia Mendes Freitas Barbosa
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Conselho tutelar de Teresina

NOME: Arnaldo Eugênio Neto da Silva
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Centro de Defesa dos Direitos Humanos Nenzinha Machado e Universidade Estadual do Piauí (Departamento de Ciências Sociais)

NOME: Maria Verônica Batista Xavier de Lima
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania

NOME: Denise Alves Morra
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Centro da Juventude Santa Cabrini

NOME: Gilberto da Paixão Fonseca
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Camara municipal de Teresina

NOME: Gilberto da Paixão Fonseca
CIDADE: Teresina – PI
ORGANIZAÇÃO: Câmara Municipal de Teresina  (Vereador)

NOME: Maria das Graças de Sena Falcão
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO:Instituto Samara Sena

NOME: Gilberto da Paixão Fonseca
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Câmara Municipal de Teresina (Vereador)

NOME: João Paulo Sales Macedo
CIDADE: Parnaíba - PI
ORGANIZAÇÃO: UFPI

NOME: Joselda Cavalcante
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Fórum de Mulheres do MERCOSUL/PI – Movimento Nacional de Direitos Humanos/PI –Comitê Estadual de Combate a Tortura/PI – Coletivo de Entidades Negras/PI

NOME: Maria do Socorro Rocha Lima Bastos
CIDADE: Parnaiba - PI
ORGANIZAÇÃO: Centro de Defesa dos Direitos Humanos Nenzinha Machado

NOME: Tiago Vasconcelos
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Câmara Municipal/Vereador

NOME: Maria de Lourdes Rocha Lima Nunes
CIDADE: Teresina -PI
ORGANIZAÇÃO: Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos

NOME: Edward Moura
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Comitê Estadual de Combate a Tortura

NOME: Alynne Patrcio
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO: Defensoria Pública do Estado do Piauí

NOME: Márcio Freire Machado
CIDADE: Teresina - PI
ORGANIZAÇÃO : Centro de recuperação nos Braços do Pai / Associação O Bom Samaritan



ESTADO DO RIO DE JANEIRO


NOME: Lilia Ferreira Lobo
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:  Instituto Felix

NOME: Nathalia Milione
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do RJ

NOME: Carla Beatriz Nunes Maia
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do RJ

NOME: Benedita Maria Vieira de Carvalho
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Instituto Palmares de Direitos Humanos

NOME: Alessandra Nicodemos
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Docente - Faculdade de Educação da UFRJ

ORGANIZAÇÃO: Fórum de Educação de Jovens e Adultos - Região Sudeste
ESTADO: Rio de Janeiro/ São Paulo/ Minas Gerais / Espirito Santo

NOME: Marcelo Durão Fernandes D'Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: MST

NOME: Fernanda Maria da Costa Vieira
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Centro de Assessoria Popular Mariana Criola

NOME: Geraldo Prado
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: prof. UFRJ

NOME: Virgínia Fontes
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Pos-graduação de história-UFF e Fiocruz

NOME: Rita de Cássia Cordeiros de Carvalho
CIDADE: São João de Meriti - RJ
ORGANIZAÇÃO: ONG Casa de Joel

NOME: Maria Lúcia Gerson Alo
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Militante

NOME: Aline Cristina Oliveira do Carmo
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Centro de Assessoria Popular Mariana Criola

NOME: Lindomar Expedito S. Darós
CIDADE: Niterói - RJ
ORGANIZAÇÃO: Trabalhador na condição de psicólogo da VIJI de São Gonçalo-RJ

NOME: Maria da Conceição Cotta Baptista
CIDADE: Duque de Caxias - RJ
ORGANIZAÇÃO: UNEGRO/ União de Negros pela Igualdade

NOME: Maria Helena Guimarães Pereira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Jornalista e Agente Literária - Profissional Autônoma

NOME: José Ricardo Cunha
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Faculdade de Direito da UERJ

NOME: Gabriela Veras Mourão
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do RJ

NOME: Roberta Fraenkel
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do RJ

NOME: Livia Casseres
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:Núcleo de Combate a Discriminação Racial (NUCORA) da Defensoria Pública do RJ

NOME: Debora Oesquer
CIDADE: Paraty – RJ
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Léia Martins Pires Figueiredo
CIDADE: Macaé - RJ
ORGANIZAÇÃO: CRAS Novo Visconde - Alba Corral

NOME: Adriana Facina
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: UFRJ

NOME: Ana Lucia  de Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Rede de  comunidades  e Movimento  Contra  Violência

NOME: Julia  preciliana  Procópio
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Rede de  comunidades  e Movimento  Contra  Violência

NOME: Sônia José Francisco de Sousa
CIDADE: Três Rios - RJ.
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Observatório de Favelas
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital

NOME: Raquel Willadino
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Observatório de Favelas

NOME: Urbano Costa
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: IHN - Instituição do Homem Novo

NOME: Alessandra Nicodemos
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:  UFRJ
⁠⁠
NOME:Mario Sérgio Pinheiro
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:TRT-RJ - gestor regional do combate ao trabalho infantil

NOME: Mario Sérgio Pinheiro
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:TRT-RJ - gestor regional do combate ao trabalho infantil

NOME: Eulícia Esteves
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Funcionária da Fundação Nacional de Artes – Funarte

NOME: Danielle Daione
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Roseane dos Santos
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Alessandra da Silva
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Simone Clemente
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Fernanda Diniz
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Elizabete de Jesus na Paula da Silva
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Luciano Alcântara
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Rosimar dos Santos
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Karina Alves
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

 NOME: Neide Fabiana Pereira
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

 NOME: Ilma Evadro de Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Andreia Alcântara
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Maura Nascimento
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Benedita Lopes
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Luciane Valeria Duarte
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Margareth Melo
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Renata Monique
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Maria da Gloria Freita
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Maria de Fátima
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Vania Ignez Farias
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Valéria Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital

NOME: Jacira Florindo
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Francieli de Souza
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME:Viviane de Souza
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO : Associação de Mães e Amigos da Criança  e Adolescente em Risco – AMAR/RJ

NOME: Fernanda Vieira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Centro de Assessoria popular Mariana Criola e prof. UFJF

NOME: Maria de Fátima Tardin Costa
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Lilia Ferreira Lobo
CIDADE: Rio de Janeiro - RJ
ORGANIZAÇÃO:Universidade Federal Fluminense

NOME: Patrícia Munçone
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:  CECIP

NOME: Vivianni Patricia C Acosta
CIDADE: Macaé – RJ
ORGANIZAÇÃO: Militante na Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes e Consultora na SDH

NOME: Maria Helena Zamora
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:  CEDECA-RJ

NOME: Maria Cristina Vianna de Giácomo
CIDADE: Mendes - RJ
ORGANIZAÇÃO: Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Mariana Alves
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:  Núcleo Carioca da ABRAPSO (Associaçao Brasileira de Psicologia Social)
NOME: Carolini Cássia Cunha
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:  Universidade Federal do Rio de Janeiro

NOME: Rane Paula Morais Souza
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Renan Saldanha Godoi
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Colégio Pedro II / Mestrando UFF

NOME: Patrick Greco
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: CMRJ

NOME: Fernanda Conde
CIDADE: Guapimirim - RJ
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Virginia Figueiredo
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: LBL - Liga Brasileira de Lésbicas

NOME: Dilma de Andrade Negreiros
CIDADE: MACAÉ - RJ
ORGANIZAÇÃO: CIEMH2 – Núcleo Cultural

NOME: Flora El-Jaick Maranhão
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Núcleo Oeste Carioca de Comunicação Popular (NOC)

NOME: Flora El-Jaick Maranhão
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação Nacional dos Anistiados do PNA

NOME: Rosangela Tardelli de Andrade
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Jane Paiva
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Universidade do Estado do Rio de Janeiro /UERJ

NOME: Aline Nunes
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: A.M.A.R - Associação de Mulheres de Ação e Reação

NOME: Terezinha Martins dos Santos Souza
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: UNIRIO

NOME: Célia Regina Pereira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: COMDEDINE - Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro

NOME: Maria Luiza Borba do Nascimento
CIDADE: Nova Friburgo - RJ
ORGANIZAÇÃO: Aliança pela Infância - Redefitovida/Oficina - Escola As Mãos de Luz

NOME: Marcela López Medeiros Machado
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal do Rio de Janeiro - Projeto Parcerias

NOME: Laura Lowenkron
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Esther Maria de Magalhães Arantes
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: UERJ e PUC-Rio

NOME: Hebe Signorini Gonçalves
CIDADE: MACAÉ - RJ
ORGANIZAÇÃO: UFRJ

NOME: Eloisa Florence dos Santos Monteiro
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Claudio Barría Mancilla
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Instituto de Arte Tear

NOME: Fernanda Ferreira Nunes da Silva
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medidas em Meio Aberto do Município do Rio de Janeiro

NOME: Letícia Serafim
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Instituto Promundo

NOME: Jô Ventura
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Se Essa Rua Fosse Minha

NOME: Casa do Menor são Miguel Arcanjo
CIDADE: Nova Iguaçu - RJ
ORGANIZAÇÃO: Casa do Menor são Miguel Arcanjo

NOME: Daniel Feldman Israel
CIDADE: MACAÉ - RJ
ORGANIZAÇÃO: Fale-Rio

NOME: Tassia Rabelo
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Assesora Parlamentar

NOME: Mariana Horta
CIDADE: são Gonçalo – RJ
ORGANIZAÇÃO: Rede Salesiana de Ação Social

NOME: Márcia Regina da Silva
CIDADE: são Gonçalo – RJ
ORGANIZAÇÃO: Associação de Conselheiros Tutelares do Estado do Rio de Janeiro - ACTERJ

NOME: Edna Maria da Silveira Monteiro
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Faculdade Cenecista Ilha do Governador - FACIG

NOME: Leonardo Thadeu de Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Isabela Reis
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Grupo Pensar Cultural

NOME: Marcelo Braga Edmundo
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Central de Movimentos Populares - CMP

NOME: Grazia de Grazia
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Orlando Alves dos Santos Junior
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Observatório das Metrópoles

NOME: Janicy de Jesus de Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Andréia Resende      
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: UFRJ

NOME: Valério da Silva
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Fundação Centro de Defesa dos Direitos Humanos Bento Rubião Janeiro

NOME: Marina Ribeiro
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: IBASE – IFHEP – Fórum de Juventude do Rio de Janeiro

NOME: Eufrásia Maria Souza das Virgens
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro - Coordenadoria de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Rosane Cavalcante de Araujo
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselho Municipal de Assistencia Social

NOME: Arão da Providencia Araujo Filho
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: CESAC

NOME: Leticia Carvalho de Mesquita Ferreira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Adriana Vianna
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Museu Nacional/UFRJ

NOME: Naideci Xavier Santos
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Pós-DECA -UERJ - Serviço Social –UFRJ

NOME: Eliana Olinda Alves
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

NOME: Geo Britto
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Teatro do Oprimido - CTO

NOME: Hanier Ferrer
CIDADE: Nova Iguaçú - RJ
ORGANIZAÇÃO: Agência de Redes para a Juventude

NOME: Michelle Gueraldi
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: CEDECA

NOME: Sandra Costa Siaines de Castro
CIDADE: Nova Friburgo - RJ
ORGANIZAÇÃO: Sociedade Musical Euterpe Lumiarense - SMEL

NOME: Ronaldo Torres Braga
CIDADE: São João do Miriti - RJ
ORGANIZAÇÃO: IBASE – IFHEP – Fórum de Juventude do Rio de Janeiro

NOME: Mônica Alkim
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Movimento Candelária Nunca Mais - CEDCA/RJ  - ODH - Projeto Legal

NOME: Erika Gloria
CIDADE: Baixada Fluminense
ORGANIZAÇÃO: Secretaria Municipal de Direitos Humanos – Movimento Candelária Nunca Mais

NOME: Marcia Gatto
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Rede Rio Criança

NOME: Patrícia de Oliveira
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Comissão Organizada Chacina da Candelária

NOME: Mônica Cunha
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Movimento Moleque

NOME: Caroline Borges
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO: Reaja ou Será Morto/a

NOME: Fransergio Goulart
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital 
ORGANIZAÇÃO: Fórum de Juventudes RJ - Fórum Social de Manguinhos

NOME: Glaucia Marinho
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital 
ORGANIZAÇÃO: Justiça Global

NOME: Fabiano de Jesus da Silva
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital 
ORGANIZAÇÃO: CIS – Centro de Integração Socioambiental

NOME: Lucia de Fatima Oliveira Cabral
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: EDUCAP – Espaço de União,Convivência, Aprendizagem e Prevenção/CRDH  do Complexo de Favelas do Alemão Caio de Moraes

NOME: Eliana Rocha Oliveira
CIDADE: Petrópolis – RJ
ORGANIZAÇÃO: Movimento Nacional dos Direitos Humanos

NOME: Aline Nunes
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: A.M.A.R - Associação de Mulheres de Ação e Reação

NOME: Célia Regina Pereira
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: A.M.A.R - Associação de Mulheres de Ação e Reação

NOME: Monica de Pontes
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: A.M.A.R - Associação de Mulheres de Ação e Reação

NOME: Ivanete Aleluia
CIDADE: Rio de Janeiro – Capital
ORGANIZAÇÃO: A.M.A.R - Associação de Mulheres de Ação e Reação

NOME: Juliana Vinuto  Lima
CIDADE: Niterói – RJ
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal do Rio de Janeiro

NOME: Carla Daniel Sartor
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: Escola de Serviço Social - UNIRIO

NOME: Fernanda Banus
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: CRAS

NOME: Célia de Fátima Pinheiro Moreira
CIDADE: Vassouras - RJ
ORGANIZAÇÃO: PIM – Programa Intergração pela Música

NOME: Valéria Brahim
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação Brasileira Terra dos Homens

NOME: Daniel Domingos Azeredo
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: IFHEP – Instituto de Formação Humana e Educação Popular

NOME: Luiz Claudio Martins Baltar
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Favela em Foco

NOME: Ramon Vellasco Neves
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: Estudante

NOME: Nilvo Pessanha Pinheiro
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: IFHEP – Instituto de Formação Humana e Educação Popular

NOME: Luzia Vasques
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: UNESA

NOME: Luiz Sergio de Souza Gonçalves
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO:TJRJ

NOME: Anna Maria Pontual da Silva
CIDADE: Rio de Janeiro - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Rachel Fontes Baptista
CIDADE: Rio de Janeiro- Capital
ORGANIZAÇÃO: UNESA


ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE


NOME: Herculano R. Campos
CIDADE: Natal - RN   
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

NOME: Fellipe Coelho Lima
CIDADE: Natal – RN
ORGANIZAÇÃO:  ABRAPSO/RN

NOME: Francisco Carlos Pinheiro
CIDADE: Natal - RN   
ORGANIZAÇÃO: ACECTURN
                
NOME: Max. Foeppel
CIDADE: Angicos - RN
ORGANIZAÇÃO: SINTRAJURN


ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL


NOME: Alda Pinto Menine
CIDADE: São Leopoldo - RS
ORGANIZAÇÃO: PROAME - CEDECA

NOME: Alda Menine
CIDADE: São Leopoldo - RS
ORGANIZAÇÃO: Centro de Defesa Bertholdo Weber - Cedeca Proame

NOME: Julia Dutra de Carvalho
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: UFRGS

NOME: Suzana Elisa Friedrich
CIDADE: São Leopoldo - RS
ORGANIZAÇÃO: AMENCAR

NOME: William
CIDADE: Porto Alegre – RS
ORGANIZAÇÃO: Bloco da Diversidade e do Comitê Gaúcho Contra a Redução da Maioridade Penal

NOME: Larissa Furtado Mertins
CIDADE: Novo Hamburgo - RS
ORGANIZAÇÃO: Estudante de psicologia- Unisinos

NOME: Centro de Defesa – CEDECA - PROAME
CIDADE: São Leopoldo - RS

NOME: Suely Braga
CIDADE: Osório – RS
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Carla Comninos Corrêa
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: Instituto Zero a Seis - Primeira Infância e Cultura de Paz

NOME: Dirce Teresinha Tatsch
CIDADE: Passo Fundo - RS 
ORGANIZAÇÃO: Núcleo ABRAPSO

NOME: Luciane Engel
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: Conselho Regional de Psicologia

NOME: Bruna Rocha de Araújo
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: Residencia Saudamental - UFRGS

NOME: Gislei Domingas Romanzini Lazzarotto
CIDADE: Porto Alegre - RS           
ORGANIZAÇÃO: Núcleo de Extensão e Pesquisa PIPA - Programa Interdepartamental de Práticas com Adolescentes em Conflito com a Lei

NOME: Suely Braga
CIDADE: Osório - RS 
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Carla Rosane de Oliveira Basques
CIDADE: Gravatai - RS        
ORGANIZAÇÃO: Associação da Casa da Criança Patinho Feio

NOME: Evony Prestes dos Santos
CIDADE: Canguçu - RS        
ORGANIZAÇÃO: Equipes Docentes

NOME: Evony Prestes dos Santos
CIDADE: Canguçu - RS        
ORGANIZAÇÃO: Equipes Docentes

NOME: Aline Bonesso Kayser
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: Fundação de Assistência Social e Cidadania - FASC

NOME: Marlon Coelho de Souza
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: Ação Rua – Calábria

NOME: Alcemar Oliveira Moreira
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: ACBERGS

NOME: Virgínia Serpa da Silva
CIDADE: Torres - RS  
ORGANIZAÇÃO: Escola M.E.F.Manoel Oliveira Carneiro

NOME: Joana Vieira Ferraz
CIDADE: Guaíba - RS 
ORGANIZAÇÃO: Associação dos Professores de Ensino Religioso/RS

NOME: Suely Braga
CIDADE: Osório - RS
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Júlio Fontoura
CIDADE: Caxias do Sul        - RS
ORGANIZAÇÃO: Associação estadual de Conselheiros/ACONTURS

NOME: Joana Vieira Ferraz
CIDADE: Guaíba - RS
ORGANIZAÇÃO: Associação dos Professores de Ensino Religioso/RS

NOME: Daniela Soares da Silva
CIDADE: Porto Alegre - RS
ORGANIZAÇÃO: FASC Fundação de Assistência Social e Cidadania

NOME: José Carlos Moraes
CIDADE: Porto Alegre - RS 
ORGANIZAÇÃO: AMENCAR


ESTADO DE RONDÔNIA

NOME: Marli Lucia Tonatto Zibetti
CIDADE: Porto Velho - RO
ORGANIZAÇÃO: Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional - ABRAPEE - Seção Rondônia

NOME: Wilson Guilherme Dias Pereira
CIDADE: Porto Velho - RO  
ORGANIZAÇÃO: Aqui Jaci Fala – Enfretando a VSCA


ESTADO DO RORAIMA


NOME: Cristina Nascimento de Oliveira
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO: NEABI/IFRR - Núcleo de Estudos Afro Brasileiros e Indígenas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima - Coletivo Feminista da UFRR

NOME: Gabriela da Costa Norberto Peres
CIDADE: Boa Vista-RR
ORGANIZAÇÃO: UFRR

NOME: Yuri Francisco Hupsel dos Santos
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO: JUVA/RR e Turma de Escritires

NOME: Ronildo Rodrigues
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Juventude do Regional Norte 1- AM/RR

NOME: Juliana Carolina da Silva Lima
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO: JUVA -  Juventude Unida pela Vida na Amazônia – Grupo Makunaíma de Protagonismo Juvenil

NOME: Ibukun Chifè Didier Adjitche
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Eyitayo Gerald Yannick Dimon
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Luyandria Santos Maia
CIDADE: Boa Vista - RR
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Feminista da Universidade Federal de Roraima


ESTADO DE SANTA CATARINA


NOME: Lucianira Morim da Silva
CIDADE: São Francisco do Sul - SC
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania

NOME: Aline Ogliari
CIDADE: Chapecó - SC
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Juventude

NOME: Sandra Caponi
CIDADE: Florianópolis - SC
ORGANIZAÇÃO: UFSC

NOME: Ana Lídia Campos Brizola
CIDADE: Florianópolis - SC
ORGANIZAÇÃO: UFSC

NOME: Gustavo Caponi
CIDADE: Florianópolis - SC
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de Santa Catarina

NOME: Irme Bonamigo
CIDADE: Chapecó - SC
ORGANIZAÇÃO: Abrapso Núcleo Chapecó

NOME: Ana Clara Mendes
CIDADE: Florianópolis - SC
ORGANIZAÇÃO: Sociedade Civil

NOME: Maristela
CIDADE: Blumenau - SC
ORGANIZAÇÃO: Pastoral da Criança

NOME: Camila Oliveira
CIDADE: Joinville - SC
ORGANIZAÇÃO: Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos –IDDH

NOME: Sandra Caponi
CIDADE: Florianópolis - SC
ORGANIZAÇÃO: UFSC


ESTADO DE SÃO PAULO


NOME: Lucas Vinicius de Lima
CIDADE: Teodoro Sampaio - SP
ORGANIZAÇÃO: MAT

NOME: Rosemary Eliana Jurgensendiehl
CIDADE: Limeira - SP
ORGANIZAÇÃO: CEPROSOM

NOME: Marcos Antonio Barbieri Gonçalves
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: Assistente Social – Núcleo Especializado da Infancia e Juventude da Defensoria Pública do Estado de São Paulo

NOME: Roberta Sato
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Membro do Forum Regional da Criança e do Adolescente do Butantã. Foca-bt. Educadora social no CCA Gracinha,. Estudante de direito

NOME:Rui Massato Harayama
CIDADE:São Paulo - SP e Rio de Janeiro - RJ
ORGANIZAÇÃO:Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade
NOME: Karina Fernandes de Oliveira
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Estudante de Pós graduação – USP

NOME: AEESSP
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: AEESSP - Associação dos Educadores e Educadoras Sociais do Estado de São Paulo

NOME: Rafael Barbosa
CIDADE: Franco da Rocha – SP
ORGANIZAÇÃO: Prefeitura Municipal de São Paulo.

NOME:Luana Maria da Silva
CIDADE:São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Instituto Dom Décio Pereira

NOME: Maria Lucia da Silva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação Comunidade Ativa de Vila Clara

NOME: Ricardo Crispim Oliveira da Silva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃ : Sociedade Civil

NOME: Margareth Morelli
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: AEESSP- Associação de Educadoras e Educadores Sociais do Estado de São Paulo/ Rede Municipal da Criança e do Adolescente de Campinas.

NOME:Ney Moraes Filho
CIDADE: Campinas  SP
ORGANIZAÇÃO: AEESSP - Associacao Das Educadoras e Educadores Sociais do Estado de São Paulo/ Campinas Escritório Latino Americano da AIEJI - Associacao Internacional de Educadoras/es Sociais

NOME: Luciano Araújo
CIDADE: São Paulo - capital
ORGANIZAÇÃO:  Fórum Estadual de Defesa dos Direitos Humanos de São Paulo

ORGANIZAÇÃO:  Fórum Estadual de Defesa dos Direitos Humanos de  São Paulo
ESTADO: São Paulo

NOME: Wilson Brito
CIDADE: Guarulhos - SP
ORGANIZAÇÃO: Estudante de Direito da Universidade Guarulhos e Funcionário Publico Municipal

NOME: Mateus Potumati Mariano
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Dez  Pinheiros

NOME: Cristina Fumi Sugano Nagai
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Defensoria Pública de SP

NOME: Patrícia Shimabukuro
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Defensoria Pública de SP

NOME: Cintia Silva de Freitas
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: UJS

NOME: Yara Toscano
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Mudança de Cena

NOME:Luciano Araújo
CIDADE: São Paulo – Capital
ORGANIZAÇÃO: Fórum Estadual DCA SP

NOME:Augusto Massini
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo Campo – SP

NOME: Aneline Meneses Nicolau Sousa
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Silmara Gomes de Brito Petri
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Eduardo de Divitiis Souza
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Vanderlei Elias Nery
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Núcleo de Estudos de Ideologia e Lutas Sociais (NEILS)

NOME: Francisca da Silva Leite
CIDADE: São Bernardo do Campo -  SP
ORGANIZAÇÃO: Centro de Atendimento Socioeducativo

NOME: Maria Lúcia de Lucena
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Tânia Cristina de Brito Rossi
CIDADE: Santo André - SP
ORGANIZAÇÃO: III Conselho Tutelar

NOME: Andréia Viana Neto
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Agnaldo Aparecido Geremias
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Cristiane Lamin Souza Aguiar
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação ATDSESP

NOME: Daniel Carvalho Rocha
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Médico do Caps Infantil Fó-Brasilandia

NOME: Batata (Ronaldo Simões Gomes)
CIDADE: Campinas – SP
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Frei David
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: EDUCAFRO

NOME: Erivelton  de Mello
CIDADE: Santo André - SP
ORGANIZAÇÃO: Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto

NOME: Valdemir Junior
CIDADE: São Paulo- Capital
ORGANIZAÇÃO: Juventude Revolução

NOME: Marcos dos santos
CIDADE: Barueri - SP
ORGANIZAÇÃO: PJMP

NOME: Frente Municipal Contra a Redução da Maioridade Penal-Guarulhos
CIDADE: Guarulhos -  SP

NOME: Anderspn John
CIDADE: São Paulo – Capital
ORGANIZAÇÃO: Supervisor de Cultura na Sub do Jabaquara

NOME: Heloisa Helena Daniel
CIDADE: Santo André - SP
ORGANIZAÇÃO: Sociedade Civil

NOME: Wildner D Paula Rocha
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Gaviões da Fiel

NOME: Departamento Cultural Gaviões da Fiel
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Gaviões da Fiel

NOME: Lilian Lina de Souza
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Sonia Greenhalgh
CIDADE: Pirassununga - SP
ORGANIZAÇÃO: Aldeias Infantis SOS Brasil

NOME: Elizangela Marques
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Assessora Parlamentar e lider comunitária

NOME: Bob Controversista - Eduardo José Barbosa
CIDADE: Guarulhos - SP
ORGANIZAÇÃO: Associação Cultural e Educacional Movimento Hip Hop Revolucionário - MH2R

NOME: Fernanda Nascimento
CIDADE: São Paulo – Capital
ORGANIZAÇÃO: Socioedade Civil

NOME: Rafael Martins
CIDADE: Sao Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Forum Regional de Defesa dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes de Sao Mateus SP - FDCA SM

NOME: Daniel Pires
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Grupo de RAP Ordem Própria

NOME: Selma Medeiros Pimentel
CIDADE: Ferraz de Vasconcelos – SP
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Maria Aparecida Azevedo                              
CIDADE: Diadema - SP.
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo

NOME: Vera Lucia de Oliveira 
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP                        
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Izabel Veras        
CIDADE: São Paulo - SP                                           
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar Cidade Tiradentes

NOME: Ana Paula Ribeiro
CIDADE: Aramina - SP
ORGANIZAÇÃO:Conselho Tutelar

NOME: Luís Antônio Gomes Lima
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: GIQE - Grupo Interinstitucional Queixa Escolar

NOME: Marcos Roberto Silvério
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Membro do Movimento Contra Redução da Maioridade Penal de São Paulo

NOME: Fernando Eliziário da Silva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Cootraleste.

NOME: UJB
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: União da Juventude Brasileira

NOME: Debora Marcia Guerra
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: GGF A Família  (Grupo de RAP)

NOME: Wilmara Alves Thomaz
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: SEE/SP

NOME: Maria Lucia da Silva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação Comunidade Ativa de Vila Clara

NOME: Wilmara Alves Thomaz
CIDADE: Campinas – São Paulo
ORGANIZAÇÃO: Secretaria da Educação do Estado de são Paulo  (SEE) e FE/Unicamp

NOME: Josiane Cristina leite de Morais
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Daniela Ribeiro Stort Gonzalez Rojas
CIDADE: Jaguariúna - SP
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Patrícia Shimabukuro
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Assistente Social – Núcleo Especializado da Infancia e Juventude da Defensoria Pública do Estado de São Paulo
 ⁠⁠
NOME: Izabel Veras
CIDADE: São Paulo – Capital
ORGANIZAÇÃO: Coselho Tutelar

NOME: Joane Mello
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Serviço Social

NOME: Hander Frank
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Carapanã.

NOME: Felipe Thiago
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Carapanã - CONSUP-IFRR, Coletivo Feminista UFRR

NOME: Irmã Telma Lage
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Missionária, Assessora Diocesana da Pastoral da Juventude

NOME: Alexandre Gilsogamo
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: CEU Vila Curuçá

NOME: Simone Aparecida Jorge
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Unicastelo e FMU

NOME: Elisabeth E. Jafet Cestari
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Jose Geraldo de Paula Pinto
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Itagira de Sena Pires
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação dos Trabalhadores da Secretaria de Desenvolvimento Social
NOME: Adriana Marcondes Machado
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: USP

NOME: Marcelo Domingues Roman
CIDADE: Santos - SP
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista, Curso de Psicologia
NOME: Maria Cristina Rocha
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Instituto de Psicologia - USP

NOME: Murilo Silva Zambolin
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Centro Acadêmico Iara Iavelberg (Psicologia USP) - Diretório Central dos Estudantes Livre da USP "Alexandre Vannucchi Leme"

NOME: Maria Liduina de Oliveira e Silva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de São Paulo

NOME: Liliane C. de Almeida
CIDADE: Alumínio - SP
ORGANIZAÇÃO: CRAS / CMDCA

NOME: Washington José Oliveira da Fonseca
CIDADE: Alumínio - SP
ORGANIZAÇÃO: NAAPA – Diretoria Regional de Educação do Butantã – SMESP

NOME: Andrea Cristina da Silva Mardegan Bianchi
CIDADE: Jaci - SP
ORGANIZAÇÃO: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Fabiana Segatti
CIDADE: Limeira - SP
ORGANIZAÇÃO: Centro de Promoção Social Municipal

NOME: Valdênia Aparecida Paulino Lanfrachi
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Centro de Direitos Humanos Pablo Ollla Gonçalves – CDHS/Sapopemba 

NOME: José Geraldo de Paula Pinto
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselho Municipal da Criança e Adolescente - CMDCA - União dos Moradores de Heliópolis e S.J.Climaco - UNAS

NOME: Ricardo Taveiros Brasil
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Grupo Interinstitucional Queixa Escolar e Fórum Sobre Medicalização da Educação e da Sociedade

NOME: Raoni Pereira Gerônimo
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Organização Comunista Arma da Crítica

NOME: Rosa Delgado
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fórum Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente –SBC

NOME: Mônica Nagy
CIDADE:São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: S.Saude / CMDCA

NOME: Marina Sanches
CIDADE: São Carlos - SP
ORGANIZAÇÃO: Programas de Medida Socioeducativas em Meio Aberto

NOME: Maria Magdalena Alves
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: MMA Consultoria

NOME: João Theodoro de Alvarenga Junior
CIDADE: São José do Rio Preto - SP
ORGANIZAÇÃO: Eai!? Equipe de Apoio do Ibilce

NOME: Ana Paula Serrata Malfitano
CIDADE: São Carlos - SP
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de São Carlos

NOME: José Boff
CIDADE: São José do Rio Preto - SP
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de São Carlos

NOME: Tatiana Dias de Almeida Ferraz
CIDADE: Carapicuiba - SP
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Itagira de Sena Pires
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Associação dos Trabalhadores da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social

NOME: Rodrigo de Oliveira Vicente - Dimenor
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar - Afrofavela-Fundao do Ipiranga

NOME: Eduardo Bittar
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Coordenação de Educação em Direitos Humanos – Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania

NOME: Aldemirte Resende Cupertino
CIDADE: Barueri - SP
ORGANIZAÇÃO: Associação de Apoio á família- S A F

NOME: Maria Carla Corrochano
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Universidade Federal de São Carlos/ Professora djunta.

NOME: Tiago Barbosa dos santos
CIDADE: Guarulhos - SP
ORGANIZAÇÃO: Organização Comunista Arma da Critica

NOME: Ana Maria Verissimo
CIDADE: Guarulhos - SP
ORGANIZAÇÃO: ASBRAD ´Projeto GAIA

NOME: Itamar Batista Gonçalves
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Childhood Brasil

NOME: Gabriela Vallim
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Secretaria de Direitos Humanos

NOME: Sonia Maria Bonfanti
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: CREAS

NOME: Paulo Roberto Marciano da Silva
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: CRAMI - Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância

NOME: Lucinda Cantoni Lopes
CIDADE: Jundiaí - SP
ORGANIZAÇÃO: CEDECA Jundiaí

NOME: Renato Fonseca
CIDADE: Campinas - SP
ORGANIZAÇÃO: Conselheiro Tutelar

NOME: Melissa Silva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Movimento Contra a Redução da Maioridade Penal

NOME: Lineu N. Kohatsu
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Universidade de São Paulo

NOME: Maitê Gauto
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Fundação ABRINQ

NOME: Douglas Belchior
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: UNEAFRO

NOME: Leonardo Duarte
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Blog Garantia de Direitos - Conselho Tutelar – Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua – ACTESP – Núcleo de Comunicação Marginal – Projeto Meninos e Meninas de Rua

NOME: Jeane Patrícia de Azevedo
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO:

NOME: Rita Emilio Lopes
CIDADE: Diadema - SP
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar – Movimento Fé e Política

NOME: Maristela do Amaral
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: ACTESP

NOME: Silvia Maria de Lima
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Neia Bueno
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Projeto Meninos e Meninas de Rua

NOME: Fábio Paes
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselheiro Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e Aldeias Infantis SOS

NOME: Markinhus
CIDADE: São Bernardo do Campo
ORGANIZAÇÃO: Conselheiro Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e Projeto Meninos e Meninas de Rua

NOME: Djalma Costa
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselheiro Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e Associação Nacional dos Centros de Defesas da Criança e do Adolescente

NOME: Elânia Lima
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Coletivo Mulheres na Luta

NOME: Viviane Oliveira
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Acessora Parlamentar

NOME: Carlos Alberto
CIDADE: São Bernardo do Campo
ORGANIZAÇÃO: Aldeias Infantis SOS Brasil

NOME: Antonio Carlos Firmino
CIDADE: São Bernardo do Campo
ORGANIZAÇÃO: Aldeias Infantis SOS Brasil - CMDCA

NOME: Valdison da Anuciação
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Movimento Contra a Redução da Maioridade Penal - SP

NOME: Abilio  Mathioli       
CIDADE: Mauá - SP
ORGANIZAÇÃO: Conselho Tutelar

NOME: Andréia Coutinho
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança

NOME: Gabriela
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselho Regional de Psicologia/SP

NOME: Marli Machiavelli
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança de São Bernardo do Campo

NOME: Samara Xavier
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Fundação Criança

NOME: Salete Valesan Camba
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: 18 RAZÕES

NOME: Eliane Reis
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Aldeias Infantis SOS Brasil

NOME: Pamela - Adolescente
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Projeto Meninos e Meninas de Rua

NOME: Katerina Volcov
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Ativista

NOME: Paulo Oliveira
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente e ACTESP

NOME: Gabriel Bistafa Mairinque
CIDADE: São Roque - SP
ORGANIZAÇÃO: Núcleo Pedagógico DE São Roque/GT de Formação da Rede Sustentabilidade -SP/APROFFESP/18 Razões

NOME: Kathia Dudyk
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: 18 Razões/Flasco Brasil      

NOME: Alexandre Isaac
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: CENPEC

NOME: Jefferson Paiva
CIDADE: São Paulo - Capital
ORGANIZAÇÃO: Setorial Juventude Rede Sustentabilidade -SP

NOME: Rafael Lira
CIDADE: Barueri - SP
ORGANIZAÇÃO: Viração Educomunicação - Comitê Estadual dos Direitos Humanos/SP – 18 Razões- Juventude Batista/SP

NOME: Juliana Fagundes
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Militante

NOME: Sergio Galvão de Oliveira
CIDADE: São Bernardo do Campo - SP
ORGANIZAÇÃO: Sindicato dos Promotores de Vendas, Demonstradoras e Merchandising – Conselheiro OP

NOME: Juliana Meireles Santos
CIDADE: Diadema - SP
ORGANIZAÇÃO:Casa Mateus Mauá - Coletivo Oralidade Poética

NOME: Reginaldo Bombini
CIDADE: Diadema, Santo André e São Paulo - SP
ORGANIZAÇÃO: Serviço de Mediação de Conflitos da Prefeitura de Diadema e Grupo de Jovens da Paróquia Santa Adélia da Arquidiocese de São Paulo

NOME: Hélio Rios
CIDADE: São Bernardo do Campo- SP
ORGANIZAÇÃO:Igreja Presbiteriana/ SINPRO – ABC

NOME: Maria Lúcia Medeiros
CIDADE Cotia- SP
ORGANIZAÇÃO:Autonoma

NOME: Claudia Guazzelli Charoux
CIDADE: São Paulo- Capital
ORGANIZAÇÃO: Cenpec
NOME: Maria Rosa Doria Ribeiro
CIDADE: São Paulo- Capital
ORGANIZAÇÃO: Faculdade Cantareira




ESTADO DE SERGIPE


NOME: Alex Federle do Nascimento
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: Centro Dom José Brandão de Castro – CDJBC

NOME: Instituto Braços - Centro de Defesa de Direitos Humanos de Sergipe
CIDADE: Aracaju – SE

NOME: Maria Elisangela dos Santos
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: AMANSER -  Associação de Mulheres e Adolescentes Negras de Sergipe

NOME: Ariny Mirielle Menezes Correia Santos
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: Rede Mova Brasil/ Educadores Popular, Centro de Defesa de Crianças e Adolescentes em Sergiepe - Conselheira de direito da criança e adolescente.

NOME: Giselle Alves Santos
CIDADE: Aracaju – SE
ORGANIZAÇÃO: Unidade Socioeducativa de Internação Provisória –USIP

NOME: Gilman Ramos S. Campos
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: Instituto Braços

NOME: Thiago José de Carvalho Oliveira
CIDADE: Aracaju – SE
ORGANIZAÇÃO: Instituto Braços - Centro de Defesa de Direitos Humanos de Sergipe e Movimento Nacional de Direitos Humanos de Sergipe

NOME: Lidia Anjos
CIDADE: Aracaju – SE
ORGANIZAÇÃO: Instituto Braços - Centro de Defesa de Direitos Humanos de Sergipe e Movimento Nacional de Direitos Humanos de Sergipe

NOME: Gean de Paula Santos
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: CDDHBRASIL- Centro de Defesa dos Direitos Humanos do Brasil

NOME: Robson Anselmo Santos
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: Instituto Braços - Centro de Defesa dos Direitos Humanos em Sergipe

NOME: Jamile Serra Azul
CIDADE: Aracaju - SE
ORGANIZAÇÃO: Instituto Braços


ESTADO DO TOCANTINS


NOME: Orleanes de Sousa Alves
CIDADE: Palmas - TO
ORGANIZAÇÃO: Artes (Tocantins) Projeto Tatame Social (Liga Tocantinense de Jiu-Jitsu e Judô ) Projeto Novo Tom

NOME: Naiara Cardoso dos Santos Mascarenhas
CIDADE: Palmas - TO
ORGANIZAÇÃO: ENEGRECER

NOME: Karina Almeida de Sousa
CIDADE:Tocantinopolis - TO
ORGANIZAÇÃO: Grupo de Estudos e Pesquisa Raça e Temas Educacionais-GERTE / Centro de Referência em Cidadania e Direitos Humanos -UFT/Tocantinopolis

NOME: Augusto Maik de Deus Gomes
CIDADE: Caseara - TO
ORGANIZAÇÃO: MST movimento dos trabalhadores rurais sem terra

NOME: Salomé
CIDADE: Palmas - TO
ORGANIZAÇÃO:Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

NOME: Maria Dorothéa S Luz
CIDADE: Palmas - TO
ORGANIZAÇÃO: Rede Evangélica Nacional de Ação Social - Renas

NOME: Geisla Godinho Gonçalves
CIDADE: Palmas - TO
ORGANIZAÇÃO: Movimento Negro Unificado – MNU

 

ORGANIZAÇÃO: Grupais Enrique Pichon Riviere Pais do Brasil

NOME: AIEJI- Escritório Latino Americano
CIDADE: Internacional
ORGANIZAÇÃO: Escritório Latino Americano da Associação Internacional de Educadores Sociais

 

PAÍSES BAIXOS



NOMBRE: Jesús Leonardo Yánez
PAIS:  Países Bajos
CIUDAD: La Haya
ORGANIZACIÓN:  Bernard van Leer Foundation


PAÍS DA SUÍÇA


NOME: Claudia Abbt
CIDADE: Rodersdorf - Suíça
ORGANIZAÇÃO: Professora


PAÍS DA ARGENTINA


NOMBRE: Marisa Germain
ESTADO: Argentina
CIUDAD:Rosario
ORGANIZACIÓN : Docente en la Universidad Nacional de Rosario

NOMBRE: FINKELBERG, Viviana
ESTADO: Argentina
CIUDAD: Ciudad Autónoma de Buenos Aires
ORGANIZACIÓN : Docente

NOMBRE:Florencia  María Finnegan
ESTADO: República Argentina
CIUDAD:Ciudad de Buenos Aires
ORGANIZACIÓN : Universidad Pedagógica de la Pcia. de Buenos Aires

NOMBRE: Mariana Villani
ESTADO: Chubut, Argentina
CIUDAD: Puerto Madryn,
ORGANIZACIÓN : Magdalneas Puerto Madryn - Teatro de las Oprimidas

NOMBRE: Paula Pogre
CIUDAD: BUENOS AIRES
ESTADO: ARGENTINA
ORGANIZACIÓN: Investigadora docente de la Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS)y de la Universidad Nacional de Tierra del Fuego , Antártida e Islas del Atlántico Sur (UNTDF)

NOMBRE: Inés Sanguinetti
ESTADO: República Argentina
CIUDAD: Buenos Aires
ORGANIZACIÓN: CREAR VALE LA PENA

NOME: Vanesa Solange Aloi   
CIDADE: Lanús
PROVINCIA: Buenos Aires - Argentina
ORGANIZAÇÃO:


PAÍS DA ESPANHA


NOMBRE: Prof. A. Casinos
CIUDAD: Barcelona - España
ORGANIZACIÓN: Universitat de Barcelona Dept. Biologia Animal

NOME: C. S. La Soleá
CIDADE: Sevilla - España
ORGANIZAÇÃO: 15M San Pablo-Santa Justa-Nervion


PAÍS DE URUGUAY


NOME: Nadya Navarro
CIDADE: Montevideo - Uruguay
ORGANIZAÇÃO: "El Tejano" es la ong en la cual trabajo y milito (en "El Puente fm", radio comunitaria).

NOME: GTO
CIDADE: Montevideo – Uruguay


PAÍS DE PORTUGAL


NOME: Raquel Pacheco
CIDADE: Lisboa - Portugal
ORGANIZAÇÃO: Universidade Nova de Lisboa FCSH


EU SOU CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

 
Garantia de Direitos Seja um colaborador do Blog: Garantia de Direitos Basta enviar seus textos, links de matérias, vídeos ou curtindo e compartilhando o conteúdo do blog nas redes sociais E-mail, duarteleonardo96@gmail.com ou ligue 011 99549 4995